Telescópio de raios gama reconfirma Teoria da Relatividade

Algumas tentativas de conciliar a gravidade com outras forças da natureza preveem desvios na Relatividade

estadao.com.br,

29 Outubro 2009 | 16h32

O Telescópio Espacial Fermi conseguiu descartar, em seu primeiro ano de trabalho, uma teoria que previa que partículas de luz de diferentes graus de energia deveriam se deslocar a diferentes velocidades, em violação à Relatividade de Einstein, que afirma que todos os tipos de luz viajam sempre com a mesma velocidade.

Telescópio detecta fonte de raios cósmicos próxima da Terra

Fermi detecta a mais poderosa explosão já vista no espaço

Novo telescópio da Nasa vê uma explosão no espaço por dia

 

"Os físicos gostariam de substituir a visão da gravidade de Einstein, que aparece na Relatividade, com uma outra que conseguisse dar conta de todas as forças fundamentais", disse um dos cientistas ligados ao Fermi, Peter Michelson. "Há muitas propostas, mas poucos meios de testá-las".

 

Muitas abordagens sugerem que o espaço-tempo teria uma estrutura instável quando observado numa escala de tamanho infinitesimal, trilhões de vezes menor que o diâmetro de um elétron. Alguns desses modelos preveem que essa estrutura "espumante" faria com que raios gama de alta energia se movessem mais devagar que outros tipos de luz.

 

Mapa da intensidade das emissões de raios gama em todo o céu, construído pelo Fermi. Nasa

 

Em maio deste ano, o Fermi detectou raios gama emitidos em uma explosão ocorrida a 7,3 bilhões de anos-luz. Dois fótons vindos dessa explosão chegaram ao telescópio com energias que diferiam numa escala de um milhão de vezes. Mas, depois de viajar sete bilhões de anos, ambos chegaram praticamente ao mesmo tempo - com uma diferença de nove décimos de segundo.

 

"A uma parte em 100 milhões de bilhões, esses dois fótons viajaram à mesma velocidade. Einstein ainda reina", disse Michelson.

Mais conteúdo sobre:
fermi raios gama nasa einstein relatividade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.