Reuters
Reuters

Vaticano diz que está aberto a acordo com tradicionalistas

Santa Sé afirmou que SSPX deve aceitar os princípios esboçados em um 'preâmbulo doutrinário' antes de seguir para uma 'esperada reconciliação'

Reuters

14 Setembro 2011 | 12h45

CIDADE DO VATICANO - O Vaticano disse nesta quarta-feira, 14, a um grupo dissidente ultranacionalista que seus membros terão de aceitar alguns princípios doutrinários não negociáveis antes de serem totalmente reintegrados à Igreja Católica Romana.

 

Líderes da dissidente Sociedade de Santo Pio X (SSPX) reuniram-se durante várias horas com as principais autoridades de doutrina do Vaticano para discutir como chegar a uma reconciliação após vários anos de negociações.

 

Segundo um comunicado, o Vaticano disse ao chefe dos tradicionalistas, o bispo suíço Bernard Fellay, que a SSPX deve aceitar os princípios esboçados em um "preâmbulo doutrinário" antes de seguir para uma "esperada reconciliação".

 

O Vaticano não divulgou o texto do preâmbulo entregue a Fellay. Mas disse que incluía certos princípios doutrinários e guias para interpretar o ensinamento da Igreja para que a SSPX não fique basicamente fora de compasso com o Vaticano.

 

A SSPX desafiou o Vaticano em 1988 ao consagrar quatro de seus bispos, o que provocou sua excomunhão. Em um gesto de reconciliação, o papa Bento 16 levantou essas proibições e promoveu o uso da missa tradicional em latim, defendida pela SSPX.

 

Mas até agora ele se recusou a dar aos bispos da SSPX o direito de rejeitar outros ensinamentos do Segundo Concilio do Vaticano (1962-1965), como a reconciliação histórica com o Judaísmo e outras religiões, ou de assumir posições oficiais na Igreja.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.