Vítima defende punição a bispos que não combatam abuso sexual

Uma irlandesa vítima de abuso clerical afirmou na terça-feira que as diretrizes da Igreja Católica para acabar com a pedofilia cometida por padres precisam ser apoiadas por penalidades aos bispos que não as implementarem.

REUTERS

07 Fevereiro 2012 | 15h41

Falando em uma grande conferência em Roma sobre a crise do abuso sexual, Marie Collins afirmou que regras sem sanções são ignoradas com facilidade e os casos são varridos para debaixo do tapete, permitindo que os pedófilos continuem a molestar crianças.

"Espero que internamente possa haver alguma punição eclesiástica para um bispo que não siga as diretrizes", disse a ativista de 65 anos a jornalistas durante a conferência.

"É óbvio que há a lei civil, mas estou falando mais sobre o lado da igreja."

O Vaticano enviou uma carta aos bispos no ano passando dizendo que precisam transformar em prioridade global o combate ao abuso sexual de crianças por padres e que toda diocese deve formular diretrizes próprias em linha com a lei penal local.

(Por Catherine Hornby)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO IGREJA PUNICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.