Oleg Voloshin/AP
Oleg Voloshin/AP

Voluntários começam simulação de viagem a Marte de 520 dias

Experiência servirá para estudar a compatibilidade psicológica e a tolerância da tripulação em voo

Efe

03 Junho 2010 | 15h09

MOSCOU - Seis voluntários começaram nesta quinta-feira, 3, uma simulação de voo a Marte que os manterá isolados do mundo durante 520 dias e servirá para estudar a compatibilidade psicológica e a tolerância dos membros de uma tripulação durante um voo interplanetário.

 

"Comecem o experimento", ordenou Igor Ushakov, diretor do Instituto de Problemas Biomédicos (IPBM) da Academia de Ciências da Rússia, em cujo recinto se encontra o simulador da nave espacial.

 

Suas palavras foram respondidas com uma entusiasta réplica "Às ordens", pronunciada pelo comandante dos "viajantes interplanetários", o russo Alexey Sitev. Em seguida, os seis voluntários entraram no simulador, cujas portas foram fechadas.

 

Junto com Sitev, participam do experimento Marte-500 os também russos Sukhrob Kamolov e Alexandr Smoleevskiy, o ítalo-colombiano Diego Urbina, o francês Romain Charles e o chinês Wang Yue.

 

Todos eles compartilharão durante um ano e pouco mais de cinco meses os 550 metros cúbicos que somam os quatro módulos cilíndricos que constituem o simulador.

 

Eles permanecerão isolados do mundo exatamente durante o tempo que leva o voo de ida e volta a Marte, 490 dias, mais outros 30 de permanência simulada no planeta vizinho.

 

Na fase "marciana" do experimento, será usado um simulador da superfície do Planeta Vermelho, de 1,2 mil metros cúbicos, no qual sairão devidamente vestidos os participantes do experimento.

 

A Agência Espacial Europeia (ESA) e a russa Roscosmos lançaram em 2004 esse ambicioso projeto, que se uniu posteriormente à China e no qual também colaboram outros países, como os Estados Unidos.

 

Em novembro de 2007, foi realizado um primeiro experimento preparatório em que seis voluntários russos permaneceram isolados do exterior durante duas semanas, enquanto em julho do ano passado aconteceu um simulação de voo ao Planeta Vermelho que durou 105 dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.