Ciúme e inveja no trabalho

Estadão

22 de junho de 2012 | 01h17

(Foto:Reprodução)

A competição sexual no ambiente de trabalho afeta mais as mulheres do que os homens. A conclusão é de um estudo realizado por pesquisadores da Espanha, Holanda e Argentina. No entanto, as habilidades sociais do rival provocam ciúmes e invejas profissionais em ambos os sexos. E na mesma intensidade. A rivalidade intrassexual se refere à competição com outras pessoas do mesmo sexo, impulsionado pela ânsia de obter e manter o aceso ao sexo oposto.

Os pesquisadores distribuíram questionários a 200 pessoas em seus ambientes de trabalho. “As mulheres com alto nível de competição intrassexual são mais ciumentas se a rival é mais atrativa e mais invejosas se a inimiga é mais poderosa e dominante”, explica Rosario Zurriega, pesquisadora da Universidade Valência, na Espanha. “Com os homens não se obteve esse resultado, já que nenhuma das características do rival que provoca inveja e ciúmes causam a competição intrassexual”, afirma ela.

Na análise, os estudiosos desvendaram as diferenças entre o ciúme, que se caracteriza como uma ameaça ou perda de conquistas em uma relação devido à interferência de um rival, implicando a ameaça ou perda total do que já se tinha; e a inveja, conhecida como uma resposta a outra pessoa que possui conquistas ou qualidades que alguém deseja e involucram carência em comparação ao invejado.

Em geral, a competição sexual provoca mais ciúmes e inveja nas mulheres. Mas, tanto nos homens como nas mulheres, as habilidades sociais dos rivais provocam estas duas emoções.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: