China apresenta novas fotos da Lua!

Estadão

10 Novembro 2010 | 08h13

Ninguém menos que o primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, fez uma figuração durante a a apresentação das primeiras imagens enviadas à Terra pela mais recente sonda lunar chinesa, a Chang’e 2.

O premiê chines com um pôster da Lua

E, como anunciado no lançamento, feito no início de outubro, as imagens são de Sinus Iridium (“Bacia do Arco-Íris”), local de pouso previsto para o primeiro robô lunar chinês, Chang’e 3.

Detalhe de Sinus Iridium, em imagem enviada pela Chang'e 2

Infelizmente não sei traduzir as legendas em chinês, mas o site da agência oficial de notícias da China, a Xinhua, traz uma galeria de imagens feitas pela sonda, com legendas em inglês. Essa galeria pode ser acessada aqui.

Desde 2003, quando se tornou o terceiro país a desenvolver a tecnologia necessária para enviar um ser humano à órbita terrestre (depois de Rússia e EUA) o programa espacial chinês  vem avançando a passos largos.

A China pretende ter uma estação espacial própria dentro de dez anos — o primeiro módulo vai ao espaço no ano que vem — e talvez envie astronautas à Lua na década de 2020.

Dos chamados BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China) o Brasil é, de fato, o único a não ter um programa espacial de fôlego.

Projeção da cratera Coulomb, feita com imagens de sonda lunar indiana

A Índia, recentemente citada como candidata a uma vaga permanente no Conselho de segurança da ONU, também tem um programa de exploração lunar bem-sucedido, o Chandrayaan. E a Rússia é, claro, além de herdeira dos sucessos da União Soviética, o principal esteio da Estação Espacial Internacional, que depende dos cargueiros russos Progress e das cápsulas tripuladas Soyuz para se manter.