Resveratrol neutraliza efeitos tóxicos de "proteínas do Alzheimer"

Composto encontrado no vinho tem uma capacidade incrível de seleção, atuando em um conjunto específico de peptídeos tóxicos.

root

22 de junho de 2010 | 14h37

Resveratrol, encontrado nas cascas e sementes de uvas vermelhas, aumenta os níveis de uma enzima que protege células nervosas no cérebro.

Resveratrol, encontrado nas cascas e sementes de uvas vermelhas, aumenta os níveis de uma enzima que protege células nervosas no cérebro.

Um composto orgânico encontrado no vinho tinto – o resveratrol – tem a capacidade de neutralizar os efeitos tóxicos das proteínas associadas ao mal de Alzheimer, de acordo com uma pesquisa liderada pelo Instituto Politécnico Rensselaer, nos EUA. A descoberta pode oferecer um entendimento maior da morte celular cerebral em larga escala observada em pacientes com doenças neurodegenerativas.

“Nós mostramos como o resveratrol tem uma seletividade muito interessante para marcar e neutralizar um seleto conjunto de isoformas de peptídeos tóxicos”, diz Peter M. Tessires, que liderou o estudo. “Porque o resveratrol escolhe os grupos de peptídeos que são ruins, deixando apenas os que são benignos, ela nos ajuda a pensar sobre as diferenças estruturais entre as isoformas de peptídeos”.

Isoformas são diferentes arranjos de peptídeos. Deformações de um peptídeo especial – o Abeta1-42 – têm sido associadas à doença de Alzheimer. Não se sabe exatamente como o resveratrol atravessa a barreira hemato-encefálica para atuar, embora tenha atraído interesse de muitos cientistas por mostrar um forte impacto no câncer e processo de envelhecimento.

O resveratrol é um polifenol que pode ser encontrado principalmente nas sementes de uva e sua quantidade no vinho pode ser avaliada pela intensidade da cor da bebida. Estudos anteriores demonstraram que o resveratrol pode atuar contra o chamado mau colesterol, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares, além de prevenir o câncer ao conter a proliferação de células cancerosas.

Veja também:

Substância encontrada no vinho tinto pode proteger contra danos do acidente vascular cerebral
Consumo de álcool antes de evento traumático aumenta flashbacks
Consumo de chocolate diminui risco de ataque cardíaco e derrame

Tendências: