Cérebro processa apenas três objetos em movimento ao mesmo tempo

O limite do cérebro para processar dois ou três objetos em movimento ao mesmo tempo depende de como as direções são definidas.

taniager

15 Setembro 2010 | 13h09

Crédito: Tatiana Gerasimenko/Ciência Diária.

Crédito: Tatiana Gerasimenko/Ciência Diária.

Cientistas da Universidade Nacional Australiana fizeram uma descoberta surpreendente sobre o funcionamento do cérebro humano. Os resultados de estudo demonstraram que o nosso cérebro consegue processar no máximo três objetos distintos se movimentando ao mesmo tempo. O mesmo acontece na realização de multitarefas. O achado tem implicações importantes para o projeto de construção de estradas, segurança industrial, esportes que requeiram grandes velocidades e outras áreas de atividade humana que envolvam a visão e, portanto, poderiam afetar a segurança e o desempenho.

A experiência conduzida pelos pesquisadores Mark Edwards e John Greenwood consistia em testar a capacidade do cérebro em detectar várias direções de sinais. Os estímulos foram apresentados em um campo onde grupos de pontos dispersos moviam-se em diferentes direções. Eles descobriram que as pessoas não conseguiam detectar mais de duas direções de sinais ao mesmo tempo. Elas apenas podiam perceber três sinais quando eles diferiam em velocidade ou profundidade. Sinais em número maior que três foram percebidos pelos indivíduos testados como ruídos se movendo aleatoriamente.

Segundo Edwards o limite de dois ou três depende de como as direções são definidas. “Um exemplo disto é quando estamos circulando em uma estrada. Embora possamos ver carros indo e vindo em direções diferentes, nós não podemos realmente prestar atenção em mais de três simultaneamente. Em vez disso, o que o cérebro faz é processá-los em série, como carros encabeçando a fila na direita e, em seguida, a do meio, e finalmente os carros à esquerda.”

Para que o cérebro humano detecte estímulos, é preciso que a intensidade do sinal – proporção de pontos movendo-se em uma determinada direção – tenha um valor específico. Isto significa que para estimular as células do cérebro são necessários, pelo menos, 40 % dos pontos se movimentando na mesma direção. Abaixo deste valor o cérebro não processa o movimento. 

A experiência também testou os indivíduos realizando multitarefas. A crença de que algumas pessoas podem realizar várias tarefas ao mesmo tempo foi abalada pelo resultado.  Na verdade, estas pessoas são mais rápidas em trocar de tarefas que outras, explicou Edwards.

Veja também:
Pessoas com Parkinson realizam tarefas automatizadas melhor
Proteína da juventude também melhora memória e aprendizagem
Lembre-se: proteína específica faz cérebro preservar informações
Metodologia científica: cérebro formula hipótese que será testada