Telescópio Hubble revela o coração da Nebulosa da Lagoa

Nuvens de gás de hidrogênio estão lentamente entrando em colapso para formar novas estrelas.

root

22 Setembro 2010 | 15h28

 

Ondas

Ondas "quebrando" na "lagoa estelar". Crédito: ESA.

Uma nova imagem captada pelo telescópio Hubble revelou o coração da Nebulosa da Lagoa (Messier 8), uma enorme nuvem de poeira e gás brilhante, bombardeados pela radiação energética de novas estrelas.

Localizada a cerca de cinco mil anos-luz de distância, na constelação de Sagitário, a Messier 8 é uma enorme região de nascimento de estrelas. Nuvens de gás de hidrogênio estão lentamente entrando em colapso para formar novas estrelas, cujos brilhantes raios ultravioletas em seguida iluminam o gás circundante em um tom vermelho característico.

Os filamentos emaranhados similares a praias da nebulosa não são causados pelo fluxo e refluxo de marés, mas sim pela capacidade de radiação ultravioleta de erodir e dispersas o gás e poeiras nas formas distintas observadas.

Nos últimos anos, astrônomos encontraram a primeira prova inequívoca de que a formação de estrelas por acreção de matéria da nuvem de gás está em curso nesta região. Estrelas jovens que ainda estão cercadas por um disco de acreção ocasionalmente lançam matéria de seus pólos. Diversos exemplos destes lançamentos, conhecidos como objetos Herbig-Haro, foram encontrados na nebulosa nos últimos cinco anos, dando forte suporte às teorias astronômicas sobre a formação de estrelas em regiões ricas em hidrogênio.