Comportamento ilógico de neurônios tem mais lógica do que pode parecer

Neurocientistas têm quebrado a cabeça para entender o porquê de alguns neurônios trabalharem “ao contrário” para ativar o movimento oposto.

taniager

09 Novembro 2010 | 16h58

O engenheiro elétrico Mark Churchland (à esquerda) e o professor de engenharia elétrica Krishna Shenoy. Crédito: Universidade de Stanford.

O engenheiro elétrico Mark Churchland (à esquerda) e o professor de engenharia elétrica Krishna Shenoy. Crédito: Universidade de Stanford.

É mais do que sabido que os neurônios ativam os movimentos físicos do corpo, mas os neurocientistas têm quebrado a cabeça para entender o porquê de alguns neurônios trabalharem “ao contrário” para ativar o movimento oposto.  Recentemente, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Stanford, EUA, descobriu que estes neurônios não trabalham no caminho inverso, eles apenas possuem outra forma de chegar ao objetivo.

“Uma ideia clássica é a de que os neurônios são codificados de acordo com a uma espécie de esquema, em que cada neurônio tem um movimento de preferência”, diz Mark Churchland, pesquisador em engenharia elétrica. Isso significa que um determinado neurônio seria mais ativo antes e durante o seu movimento preferido. Por exemplo, se você quisesse que sua perna fizesse um movimento para a direita, todos os seus neurônios estariam ativos, mas os neurônios que preferem a direita estariam mais ativos.

Segundo Churchland, a equipe descobriu que um neurônio pode estar muito ativo antes de um movimento para a direita, por exemplo, e se desligar antes deste movimento acontecer. Ou poderia estar completamente inativo e em seguida tornar-se muito ativo durante o movimento.

O que pode dar a impressão de a atividade de alguns neurônios serem ilógicas é o próprio fato de como ela é observada.  “Se você tenta relacionar a atividade a um único neurônio para uma ação que está ocorrendo, pode parecer loucura”, disse Churchland. “Mas, se você comparar o comportamento do neurônio com um pêndulo de relógio, tudo fará sentido. Para empurrar o pêndulo para a direita, você primeiro terá de levá-lo à esquerda. E quando o pêndulo oscila entre as duas direções, ele se move em direções diferentes durante momentos diferentes. Desta forma, ele atinge seu objetivo de manter o sistema de tempo funcionando perfeitamente”.