Imagem de galáxia mostra como Via Láctea seria observada ao longe

NGC 6744 pode ser vista "de frente", como se o observador estivesse voando sobre ela.

root

01 Junho 2011 | 11h29

Crédito: ESO.

Crédito: ESO.

Astrônomos do Observatório Espacial Europeu (ESO) conseguiram obter uma bela imagem da galáxia em espiral NGC 6744, situada a cerca de 30 milhões de anos-luz de distância da constelação austral de Pavo. Com a ajuda do instrumento Wide Field Imager, montado no telescópio MPG/ESO, de 2,2 metros, os pesquisadores têm em mãos o que seria um cartão-postal de uma galáxia muito semelhante à nossa.

A imagem mostra a NGC 6744 praticamente de “frente”: é possível observar a estrutura da galáxia como se o observar voasse sobre ela. Braços em espiral estão entrelaçados em volta de um núcleo denso e alongado e um disco de poeira. Há também uma galáxia companheira distorcida – a NGC 6744A – que aparece como uma mancha difusa por baixo e à direita da principal, que lembra claramente uma das vizinhas das Nuvens de Magalhães, na Via Láctea.

A diferença entre a NGC 6744 e a Via Láctea é o tamanho. Enquanto a nossa galáxia mede aproximadamente 100 mil anos-luz de um lado a outro, a galáxia observada estende-se até quase o dobro deste tamanho. Contudo, a NGC 6744 pode dar uma ideia de como um observador distante veria a nossa casa galáctica.

Este objeto é uma das maiores e mais próximas galáxias espirais. Embora tenha o brilho de aproximadamente 60 milhões de sóis, a sua luz se espalha ao longo de uma grande área do céu – cerca de dois terços da largura de uma lua cheia -, fazendo com que a galáxia observada através de um pequeno telescópio apareça como um centro brilhante rodeado por uma difusa neblina. Mesmo assim, é um dos objetos mais bonitos do céu austral, identificado pelos astrônomos amadores como uma forma oval em contraste ao pano de fundo rico em estrelas.

Veja também:

Apenas quatro por cento das galáxias são como a nossa Via Láctea
Observatórios captam imagem detalhada de Andrômeda
Detectado primeiro exoplaneta orbitando estrela em outra galáxia
Descoberta estrutura gigante nunca antes observada na Via Láctea
Observações do ESO podem explicar o crescimento de galáxias
Estudo revela que galáxias em espiral se formam com mais facilidade