Nova terapia pode tratar síndrome de Tourette sem medicamentos

A síndrome de Tourette é uma desordem neuropsiquiátrica complexa caracterizada por tiques motores e fônicos.

taniager

14 de abril de 2011 | 16h06

Marc Lavoie. Crédito: Centre de recherche Fernand-Seguin de l'Hôpital Louis-H Lafontaine.

Marc Lavoie. Crédito: Centre de recherche Fernand-Seguin de l'Hôpital Louis-H Lafontaine.

O uso de uma terapia cognitiva-comportamental para tratar os tiques na síndrome de Tourette também pode ser eficaz e até mesmo superior ao medicamento em alguns casos. Um novo estudo realizado por pesquisadores do Centre de Pesquisa Fernand-Seguin do Hospital Louis-H. Lafontaine, afiliado à Universidade de Montreal, Canadá, observou que a terapia tem efeitos não só em tiques, pensamentos e comportamentos, mas também sobre a atividade do cérebro.

Um dos pesquisadores da equipe de estudo, Marc Lavoie, argumenta que a descoberta poderia ter um grande impacto sobre o tratamento desta doença. “Em alguns casos, medidas fisiológicas poderiam melhorar a terapia a fim de moldá-la conforme o tipo específico de paciente”.

A síndrome de Tourette é uma desordem neuropsiquiátrica complexa caracterizada por tiques motores e fônicos que se agrava durante a infância com um pico na idade de 11 anos. A doença afeta de 0,05% a 3% das crianças em idade escolar e pode persistir, em alguns casos, até a idade adulta.

Em experimento com adultos, a terapia mostrou ser eficaz na reconstrução cognitiva e na modificação comportamental e fisiológica. Os resultados demonstraram uma diminuição significativa dos tiques e, o mais importante, foi possível observar uma normalização da atividade cerebral quantificável, relacionada à melhoria dos sintomas em pacientes com a síndrome.

A originalidade dos resultados do estudo endossou a presença de uma mudança cerebral mensurável como resultado destas mudanças cognitivas e comportamentais. Enfim, a terapia permite uma reconstrução cognitiva e também uma mudança comportamental e fisiológica. O estudo é o primeiro a demonstrar os efeitos fisiológicos de uma terapia cognitiva-comportamental em pacientes com a síndrome Gilles de la Tourette.

O artigo do estudo « Neurocognitive changes following cognitive-behavioral treatment in the Tourette syndrome and chronic tic disorder” por Lavoie, M.E., Imbriglio, T.V., Stip, E., O’Connor, K.P. foi publicado recentemente na revista International Journal of Cognitive Psychotherapy.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: