Partículas metálicas ajudam na produção barata de energia limpa

Minúsculos “agregados metálicos mágicos” atuam como catalisadores supereficientes em reações para obter hidrogênio da água.

taniager

28 Junho 2011 | 17h31

 
 

Hidrogênio da água utilizando radiação solar: nova esperança de energia barata e limpa. Crédito: University of Adelaide.
Hidrogênio da água utilizando radiação solar: nova esperança de energia barata e limpa. Crédito: University of Adelaide.

Minúsculas partículas de metal podem funcionar como catalisadores para produzir energia barata, limpa e eficiente a partir de hidrogênio. Isto é o que promete uma equipe de pesquisadores químicos da Universidade de Adelaide na Austrália.  O trabalho da equipe poderia contribuir significantemente com o esforço global para converter energia solar em energia química transportável.

 

A equipe liderada por Greg Metha passou 14 anos pesquisando a síntese e propriedade de nanopartículas metálicas e como estas partículas podem desempenhar o papel de catalisadoras ao nível molecular. O resultado mais recente do estudo mostra como os pesquisadores descobriram um meio de produzir estes agregados metálicos minúsculos. Ao explorar suas atividades químicas fundamentais puderam aplicar suas propriedades catalíticas em reações que trazem um benefício em potencial para o uso industrial e ao meio ambiente.  

A equipe trabalha com agregados de metal com cerca de um nanômetro de tamanho – menor que 10 átomos. Estes minúsculos “agregados mágicos” atuam como catalisadores supereficientes. (Catalisadores aumentam a velocidade de reações químicas, reduzindo a quantidade de energia requerida.)

A intenção dos pesquisadores é utilizar os nano catalisadores para reduzir a quantidade de radiação solar necessária para dividir a água em hidrogênio e oxigênio. O processo clássico para este fim requer muita energia e é caro. “Estaremos usando radiação solar como fonte de energia sem emissão de carbono”, diz Metha.  “O objetivo último será produzir hidrogênio a partir da água como fonte barata de energia transportável”.

A equipe conseguiu demonstrar que estes catalisadores trabalham eficientemente ao nível molecular e agora está empenhada em demonstrar que funcionam em escala microscópica.