Robô cisne sueco dança o “Lago dos cisnes” e surpreende seus espectadores

Em sua "performance", o robô cisne de um metro de altura demonstra sua grande flexibilidade de movimentos.

taniager

21 Setembro 2010 | 13h03

O robô cisne. Crédito: cortesia da Universidade de Mälardalen.

O robô cisne. Crédito: cortesia da Universidade de Mälardalen.

No balé Lago dos cisnes, o cisne morrendo, ora se move suave e gentilmente, ora de forma dramática e ardente, enquanto a majestosa música de Tchaikovsky está tocando. Mas não é uma bailarina comum quem dança, e sim um robô em forma de cisne criado na Universidade de Mälardalen, Suécia, e coreografado pela dançarina profissional Åsa Unander-Scharin. 

A performance do robô cisne está encantando muita gente. Ela tem duração de quatro minutos e com um metro de altura este robô demonstra sua grande flexibilidade nos movimentos.  Ele foi construído por um sistema modular e em suas asas brancas, pescoço, bico e pés, existem um total de 19 articulações diferentes. 

“Nós queremos explorar os limites do que um robô pode fazer, que expressões humanas ele pode imitar e como isso afeta a percepção das pessoas quando o veem em uma apresentação artística de dança”, diz Lars Asplund, do Departamento de Ciência da Computação na Universidade de Mälardalen. 

Para que o robô cisne pudesse executar sozinho e sistematicamente os movimentos das asas, pescoço e outras partes do corpo, Unander-Scharin “ensinou” a ele sua coreografia, porque o computador colocado em seu interior pode “lembrar” dos padrões de movimento. Assim, ao correr o programa, o robô pode dançar uma dança completa.

Veja também:
Supercomputador consegue ver bem o suficiente para dirigir um carro
Pesquisador cria nanoveículo que injeta quimio em células do câncer
“Visão de mundo” das abelhas: olho artificial do inseto dá as coordenadas
Inteligência artificial: novo modelo computacional reconhece objetos
Robô que quebrou a perna deverá caminhar por terrenos acidentados
Aviões “verdes” sobrevoarão o espaço aéreo em 2035
Sem tirar os olhos da estrada: carro pode ser guiado apenas pela visão