SOBRAC realiza atividades no Dia de Prevenção de Arritmias Cardíacas

O objetivo é fornecer um conhecimento maior sobre as medidas preventivas e de socorro para problemas cardíacos.

root

11 Novembro 2010 | 11h23

Logo da campanha

Logo da campanha

Amanhã será realizada a campanha do Dia Nacional de Prevenção de Arritmias Cardíacas e Morte Súbita. A data, uma conquista da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC), marca a promoção de diversas atividades educativas para o público leigo ou profissional em todo o País. O objetivo é fornecer um conhecimento maior sobre as medidas preventivas e de socorro para problemas cardíacos.

Desde 2007, a campanha busca conscientizar a população por meio de palestras, cursos, e práticas monitoradas em diversas cidades brasileiras – mobilizando centenas de cardiologistas de todo o Brasil. Com o evento, a SOBRAC também pretende chamar a atenção de órgãos públicos e privados para a importância da presença do Desfibrilador Externo Automático (DEA) em locais de grande circulação de pessoas.

“Apesar do grande número de vítimas todos os anos, as arritmias cardíacas e a morte súbita ainda prescindem de ampla divulgação no Brasil”, ressalta o médico Guilherme Fenelon, presidente da SOBRAC. “O IBGE confirmou recentemente que as doenças cardiovasculares matam mais do que quaisquer outras, incluindo o câncer”. O cardiologista destaca o aumento de portadores de arritmias, justificado não só pelo crescimento populacional, mas também pela maior expectativa de vida e da prevalência de fatores de risco como hipertensão, fumo, colesterol elevado, diabetes e obesidade.

Coração na Batida Certa

Com a campanha “CORAÇÃO NA BATIDA CERTA” a SOBRAC mais uma vez alerta a população a respeito dos riscos das arritmias cardíacas e da morte súbita, que juntas vitimam mais de 300 mil pessoas anualmente. A morte súbita, por si só, já é considerada um dos maiores problemas de saúde pública no mundo, acometendo, na maioria das vezes, pessoas na faixa etária mais produtiva, bem como atletas – jovens e saudáveis.

A atenção da SOBRAC também está voltada para os programas de treinamento para socorristas leigos e o uso correto do DEA (Desfibrilador Externo Automático), tornando relevante a discussão da importância de Desfibriladores em locais extra-hospitalares, como vias públicas, aeroportos, shopping centers e estádios de futebol. Para isto, visa gerar recursos para aquisição, doação e instalação destes equipamentos em locais públicos e de grande circulação.

“Estes equipamentos desempenham função essencial para salvar vidas. O Brasil terá destaque mundial nos dois eventos esportivos de maior repercussão internacional: a Copa do Mundo (2014) e os Jogos Olímpicos (2016), em que a grande concentração de público torna o DEA ainda mais relevante.”, ressalta o presidente da SOBRAC.

As ações da campanha também devem auxiliar na coleta de dados estatísticos e epidemiológicos, fundamentais para subsidiar órgãos competentes para a tomada de decisões que reduzam o impacto das doenças cardiovasculares e mortes no País. “Temos que implementar medidas imediatas e de longo prazo, assim como orientar a população a respeito dos fatores de riscos que envolvem as Arritmias Cardíacas e a Morte Súbita”, explica Fenelon.

Arritmias cardíaca

As arritmias cardíacas são alterações elétricas que provocam irregularidade no ritmo das batidas do coração. Existem diferentes tipos, como a taquicardia (em que o coração bate rápido), a bradicardia (em que o coração bate devagar) e casos em que o coração bate com irregularidade tanto de aceleração quanto de desaceleração.  Elas podem levar à morte súbita, e o exemplo clássico disto acontece com jogadores de futebol – geralmente muito jovens e saudáveis – que morrem durante treinos ou partidas.

“Não é raro que aconteçam paradas cardíacas em pessoas que estejam se exercitando em academias. Assim como pode acontecer em locais públicos de grande concentração de pessoas, como estádios de futebol (torcedores) e no metrô”, destaca Fenelon. Os principais sintomas das arritmias cardíacas são cansaço, palpitações (“batedeiras”) ou tonturas. Mas as arritmias também podem ser assintomáticas, acometendo tanto pessoas saudáveis ou como quem já sofreu enfarte ou têm o coração inchado (caso dos portadores de doença de Chagas). Deve-se prestar atenção às evidências significativas, assim como aos principais sintomas e o histórico familiar de morte súbita.

Para conhecer as cidades que abrigarão as atividades no dia 12 de novembro, acesse a área de Ações e Materiais da Campanha.