Estudo sugere que golfinhos usam dois sonares ao mesmo tempo

Pesquisadores descobriram que golfinhos podem gerar dois tipos de projeções de feixes de sons ao mesmo tempo.

taniager

07 Junho 2011 | 15h41

Josefin Starkhammar. Crédito: Lund University.

Josefin Starkhammar. Crédito: Lund University.

Já se sabia que golfinhos e botos usam eco localização para caçar e se orientar. A eco localização engloba a emissão de sons em altas frequências, conhecidos por ultrassom, e a detecção de ecos para determinar que tipo de objeto é atingido pelas ondas sonoras. Agora, pesquisadores suecos e norte-americanos descobriram que golfinhos podem gerar dois tipos de projeções de feixes de sons ao mesmo tempo.  O artigo sobre o estudo foi publicado na ultima edição da revista Biology Letters.

Segundo a física e pesquisadora Josefin Starkhammar da Universidade de Lund na Suécia, as projeções de ondas possuem frequências diferentes e podem ser enviadas em diferentes direções.  Isto dá maior precisão para a localização da caça. Para tanto, Starkhammar explica que as duas projeções de som são provenientes de dois órgãos distintos e já conhecidos pelos cientistas.  No entanto, sua suposição de que estes dois órgãos trabalhem ao mesmo tempo contradiz o que se tem acreditado, ou seja, que somente um é ativado durante a eco localização. Salienta ainda que mais investigações serão necessárias. Por exemplo, as duas projeções também poderiam ser explicadas pelas reflexões complicadas na cabeça do golfinho, onde o som é formado.

Os golfinhos têm sido estudados desde os anos 60, mas somente agora, utilizando instrumentos de medida e técnicas de processamento com tecnologia mais avançada, foi possível realizar a descoberta.  Starkhammar utilizou um equipamento com 47 hidrofones – microfones para uso em água. “Este é o melhor aparelho atualmente no mundo para capturar ondas de ultrassom dos golfinhos na água”, argumentou a pesquisadora que passou muito tempo testando e desenvolvendo o equipamento.

Morcegos também usam eco localização e há algumas espécies de musaranho e alguns pássaros habitantes de cavernas que usam uma forma mais simples do método. Até mesmo os humanos desenvolveram dispositivos que usam a eco localização e a tecnologia de ultrassom.  “No entanto, a eco localização dos golfinhos é, em muitos aspectos, muito mais sofisticada.” A evolução teve a possibilidade de aprimorá-la ao longo de milhões de anos.

Os coautores do artigo são Patrick W. Moore, Lois Talmadge e Dorian s. Houser, que trabalham na Fundação Nacional de Mamíferos Marinhos nos Estados Unidos.