TAPETES VOADORES

Herton Escobar

06 Junho 2011 | 11h59

Imagine se, para se alimentar, você pudesse simplesmente abrir a boca e sair andando por aí, contra o vento, engolindo moscas, mosquitos e outros pequenos insetos voadores que eventualmente passassem pela sua frente  … Sei que parece nojento, mas não há como negar que seria prático, não é mesmo?

É basicamente isso que essas raias manta estão fazendo no vídeo acima, que gravei durante o meu primeiro mergulho na Indonésia, numa ilha chamada Nusa Penida, a sudeste de Bali. Brincadeiras à parte, são animais magníficos, e enormes, que podem passar facilmente dos 2 metros de envergadura.

E que, apesar do tamanho, são extremamente dóceis e absolutamente inofensivos. E que, assim como muitos outros grandes animais marinhos, são organismos filtradores, que se alimentam de plâncton. O mesmo ocorre com o tubarão-baleia (o maior peixe dos oceanos) e algumas espécies de baleias. Um mergulhador mal informado poderia ficar assustado e pensar que esses gigantes precisam de grandes presas para se manterem vivos, mas não … Precisam, sim, comer em grandes quantidades, mas grandes quantidades de coisas muito pequenas. Não de seres humanos.

No passado já existiram animais gigantescos que eram predadores ferozes, carnívoros e cheios de dentes, tanto na terra quanto no mar. Mas hoje em dia, não. Os elefantes se alimentam de plantas e as baleias, de plâncton ou krill (pequeninos crustáceos nadadores, parecidos com camarões) ou, no máximo, de pequenos peixes em cardumes.

Claro que você tem ainda os tigres e as orcas e os tubarões-brancos, mas chega um certo tamanho que não dá mais para ficar correndo atrás de comida todos os dias … Muito mais fácil é abrir a boca e sair nadando por aí, filtrando água, ou simplesmente abocanhar um montão de petiscos de uma vez só, para formar uma grande refeição. Engolir uma tonelada de camarõezinhos é muito mais fácil do que correr atrás de uma foca. E não precisa nem mastigar!

No caso dos filtradores, como as mantas, a água passa por dentro da boca e o plâncton fica preso nas guelrras, para ser engolido depois. No vídeo dá para ver como elas nadam calmamente contra a correnteza, batendos suas “asas” como se fossem tapetes voadores … lindas! (a visibilidade no local é baixa justamente por causa de quantidade de plâncton na água, que dificulta o foco da câmera)

Curiosamente, há um animal terrestre que também é um filtrador: o flamingo, que eu conheci em Bonaire, antes de vir para cá. É por isso que ele tem aquele pescoção comprido, que usa para enfiar a cabeça na água, de cabeça para baixo. Ele está filtrando água, que passa por uma membrana dentro de seu bico, que captura pequenos invertebrados e outras criaturinhas apetitosas (para um flamingo). Não tem dentes nem estômago para mastigar nada. Só filtra. É a única ave no mundo que faz isso … E se isso não é informação demais espremida num único parágrafo, me avisem que tento espremer um pouco mais.

Abraços a todos.