Guardião da Amazônia

karinaninni

24 Novembro 2010 | 19h38

Todos os que tiveram o privilégio de conviver com o biólogo e pesquisador José Márcio Ayres, responsável pela criação da Estação Ecológica Mamirauá (hoje Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá – IDSM), no município de Tefé (AM), são unânimes em ressaltar a simplicidade, o temperamento brincalhão e a paixão que este paraense nutria pela Amazônia – região que ajudou a preservar.

Para os que não o conheceram, uma boa novidade: saiu do prelo, no final de outubro, a biografia do cientista, escrita pela jornalista (também paraense) Rose Silveira. “José Márcio Ayres: Guardião da Amazônia” (São Paulo: Rose Silveira, 2010) foi financiada pelo pai de Márcio, Manuel Ayres, e tem tiragem inicial de mil exemplares.

marcio_ayres_ok.JPG

“Na verdade, a ideia do projeto foi da mãe dele, Iza do Amaral Corrêa Ayres, que morreu há dois anos. Quando o Márcio se foi, a mãe começou a guardar tudo o que saía sobre o filho nos jornais, na imprensa internacional, enfim. Somado a todo o material que tínhamos dele, suas publicações, fotos, suas pesquisas, prêmios e afins, acaba que tínhamos um universo muito rico para explorar.  A mãe dele achava que a histório de Márcio seria um exemplo para jovens biólogos”, resume a prima do pesquisador, Ana Rita Alves, que assumiu a direção do Instituto Mamirauá em 2001, quando Márcio foi diagnosticado com um câncer no pulmão, e deixou o cargo recentemente, em setembro.

A obra está sendo distribuída gratuitamente a instituições educacionais e de pesquisa, e a amigos de José Márcio Ayres, que morreu aos 49 anos, em 2003 – mas teve tempo para deixar um legado importantíssimo para a Amazônia. Hoje o IDSM é cogestor de duas reservas estaduais – a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã   –  unidades de conservação com, respectivamente, 1,12 milhão e 2,31 milhões de hectares, consideradas Patrimônio Mundial pela Unesco.

As instituições de ensino e pesquisa interessadas no livro podem requisitá-la pelo e-mail anarita@ufpa.br