Planeta na rádio Estadão/ESPN

Estadão

06 de maio de 2011 | 15h01

No programa de rádio desta semana Planeta Estadão na rádio Estadão/ESPN (FM 92,9 e AM 700), as repórteres Afra Balazina e Andrea Vialli falaram sobre o impasse na votação do Código Florestal na Câmara dos Deputados. Para as jornalistas de O Estado de S.Paulo, o ponto mais polêmico em relação à votação é o desconhecimento, por parte do público e até dos deputados, do teor do texto que será votado.  

“Acho que a gente só vai ver esse texto na véspera”, diz Afra. “Aldo Rebello diz que está fazendo o ‘vestido de noiva’, que vai fazer o acordo tão sonhado por todos, mas ninguém conhece o texto ainda”, endossa Andrea.

As jornalistas lembraram que há pontos polêmicos pouco mencionados pela mídia no texto. Um deles seria a possibilidade de exploração de araucárias. Em seu site, a ex-ministra Marina Silva elencou esse e outros 15 itens considerados inadequados que constam no Código em vias de aprovação.

Outro assunto debatido pelas jornalistas, ao lado da apresentadora Paulina Chamorro, foi a logística reversa. O governo instalou cinco grupos de trabalho para estudar como o instrumento pode ser usado para resíduos como eletroeletrônicos, lâmpadas fluorescentes, entre outros. A ideia é que os produtores também tenham responsabilidade pelo destino final desses bens.

A jornalista Afra Balazina destacou, fora do País, um índice triste para o meio ambiente: na África do Sul, foram abatidos, desde o início do ano, 138 rinocerontes. Na Ásia, acredita-se que eles tenham propriedades afrodisíacas. No Nepal, por outro lado, censo recente mostrou que a população do animal aumentou.

Leia mais:

Base racha e Dilma deve ceder mais no Código Florestal

Governo instala grupos para definir logística reversa de cinco resíduos

Censo mostra aumento de rinocerontes no Nepal

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: