Um conceito

karinaninni

17 Novembro 2010 | 19h18

Na esteira da ideia de que comer melhor é viver melhor, restaurantes vegetarianos e ‘naturebas’ viram suas clientelas aumentarem nos últimos anos em São Paulo. Agora, é a vez dos orgânicos. Com a preocupação crescente acerca do uso de pesticidas e inseticidas nas lavouras, muitas famílias – as que podem pagar, evidentemente – estão migrando para o consumo de alimentos ‘sem veneno’. Nos supermercados, eles custam muuuito mais caro. Mas, curiosamente, restaurantes que vendem comida orgânica não têm preços tão mais elevados que a maioria dos seus concorrentes tradicionais.

É o caso do Le Manjue Bistrô, na Vila Nova Conceição, um bom lugar para provar quitites orgânicos  preparados pelo chef Renato Caleffi. A casa aproveita ao máximo a luz natural com grandes janelas, conta com aquecedor solar para água, horta no mezanino e ainda por cima é certificada pelo selo IBD. O lixo produzido pelo restaurante é reciclado em parceria com uma cooperativa e os móveis de madeira vieram de demolições.

“No almoço diário, 80% da clientela é feminina. No jantar, há mais casais e, nos finais de semana, recebo mais famílias”, diz um dos sócios, Bruno Fattori.

A especialidade são os jambalayas – pratos feitos à base de arroz orgânico, que podem levar camarões, carne de cordeiro e até mesmo bacalhau! Em tempo – o bacalhau legítimo está ameaçado de sobrepesca há décadas, mas este aqui tem certificado ISO. Vale a pena dar uma passadinha para conferir!