Universidades do bem

karinaninni

09 Novembro 2010 | 20h46

Algumas instituições de ensino superior já apostam em iniciativas verdes em prol da redução de emissões. A Universidade Presbiteriana Mackenzie acaba de inaugurar em São Paulo três reservatórios para captar e armazenar água da chuva, com capacidade para 80 mil litros. Implantou também um minhocário para transformar resíduos orgânicos em húmus. Em Bauru, o câmpus da Universidade Estadual Paulista (UNESP) substituiu 13.750 lâmpadas e 6.900 luminárias por alternativas mais eficientes, em parceria com a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL). A economia prevista é de 20% – ou R$ 150 mil a menos nas despesas anuais.

A Universidade de Harvard, uma das mais tradicionais dos EUA, foi além e se comprometeu a reduzir em 30% suas emissões até 2016, com relação aos níveis de 2006. Até agora, já reduziu em 7%, com iniciativas como uso eficiente de energia, um programa de “bikeshare” para todos os alunos e membros da instituição e a adoção de padrões do chamado “green building” – construções verdes.

Se a moda pega, vai ser bom para todo mundo.