2007 foi o segundo ano mais quente num século, diz Nasa

Maior aquecimento do ano ocorreu no Ártico e latitudes vizinhas; efeito estufa atingiu mais os pólos

16 de janeiro de 2008 | 18h09

Climatologistas do Goddard Institute for Space Studies (GISS) da Nasa descobriram que 2007, junto com 1998, foi o segundo ano mais quente num século na Terra. Pesquisadores do instituto usaram dados de temperaturas das estações de tempo em terra, medições por satélite das temperaturas marinhas desde 1982 e informações enviadas por navios nos últimos anos.   Veja também: Mundo esquenta, apesar de La Niña e de neve em Bagdá   O maior aquecimento de 2007 ocorreu no Ártico e latitudes vizinhas. O aquecimento global teve um efeito maior nas regiões polares, e a perda de neve e gelo se transformou num maior volume de água para os oceanos, consumindo assim mais luz solar e gerando calor.   "Como previmos no ano passado, 2007 foi mais quente que 2006, confirmando a forte tendência de aquecimento dos últimos 30 anos. Atribuímos isso ao efeito estufa e outros gases criados pela ação humana", disse James Hansen, diretor do GISS. "É improvável, porém, que 2008 seja um ano de temperaturas mais altas. Exceto por uma erupção vulcânica, uma temperatura global recorde pode ser esperada para os próximos anos, perto do próximo El Ñino", completa.   Os oito anos com temperaturas mais quentes que o GISS registrou foram após 1998, o ano mais quente do século. Apesar de ter sido encontrado um erro nas medições do GISS no começo de 2007, a falha não afetou os resultados da pesquisa do instituto para o ano.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.