Abertura a anglicanos não flexibiliza celibato, diz Vaticano

Permissão para que anglicanos mantenham ritos e liturgias visa a preservar a riqueza da tradição, diz nota

Associated Press,

09 Novembro 2009 | 16h04

A cúpula da Igreja Católica afirma que a abertura ao acolhimento de sacerdotes anglicanos casados não significa uma flexibilização da exigência de celibato para o clero católico.

 

Papa e líder anglicano vão se reunir em 21 de novembro

Teólogo ataca assimilação de anglicanos pelo Vaticano

Vaticano vai aceitar padres e seminaristas anglicanos casados

Igreja Episcopal abre todos os postos do sacerdócio a gays

 

 

O escritório de imprensa da Santa Sé divulgou as regras e normas, coletivamente chamadas de Constituição Apostólica, criadas para facilitar a entrada, no catolicismo, de anglicanos desiludidos com os rumos mais liberais de sua Igreja.

 

Sob a iniciativa do Vaticano, os anglicanos poderão participar de novas paróquias, chamadas "ordinariatos pessoais", que serão chefiadas por ex-padres anglicanos convertidos ao catolicismo. O rito anglicano permite padres casados.

 

Sacerdotes anglicanos casados teriam autorização para se converter em padres católicos, o que levantou questões sobre a manutenção da exigência do celibato para o clero católico. 

 

"A possibilidade, apresentada na Constituição Apostólica, de haver alguns sacerdotes casados nos ordinariatos pessoais não significa uma mudança na disciplina da Igreja de celibato clerical", disse o Vaticano nesta segunda-feira. A nota elogia o celibato como "um símbolo e estímulo para a caridade pastoral".

 

Numa aparente tentativa de acabar com a especulação de que o Vaticano estivesse fazendo avanços sobre os anglicanos insatisfeitos, a Igreja diz que o "Espírito Santo" inspirou os anglicanos a "pedir repetidas vezes e de modo insistente para serem recebidos na comunhão católica plena", individualmente e em grupos.

 

A Santa Sé também buscou justificar a criação de novas estruturas para acomodar os anglicanos convertidos. A mera assimilação dos anglicanos nas dioceses já existentes levaria à "perda da riqueza da tradição anglicana", disse o Vaticano.

 

A permissão para que mantenham suas tradições litúrgicas, espirituais e pastorais, com aprovação do Vaticano, traz á Igreja Católica "um dom precioso", afirma o novo documento.

 

As regras também confirmam declarações feitas por figuras do Vaticano de que, embora bispos anglicanos casados possam se converter em padres católicos, eles perderão a condição de bispo.

 

Mas Roma disse que esses ex-bispos poderão ser convidados a participar de reuniões das conferências episcopais católicas "com status equivalente à de um bispo aposentado".

Mais conteúdo sobre:
vaticanoanglicanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.