Abu Dabi mostra plano de investimento em energia renovável

Emirado planeja suprir 7% de suas necessidades energéticas com fontes renováveis em apenas uma década

AP,

19 de janeiro de 2009 | 16h06

O emirado rico em petróleo de Abu Dabi, um dos maiores produtores per capita de gases do efeito estufa do mundo, apresentou um plano nesta segunda-feira, 19, para suprir 7% de suas necessidades energéticas com fontes renováveis em apenas uma década.  Veja também:Mudança climática acontece mais rapidamente no Ártico21 países fazem acordo contra emissões de gases estufa Mundo precisa de 'emissões negativas' de carbono após 2050 O líder da iniciativa verde anunciou a meta no início de uma reunião sobre fontes de energia renováveis na capital dos Emirados Árabes Unidos. Representantes disseram que a maior parte, se não todo, objetivo será atingido usando energia solar.  Abu Dabi atualmente depende de gás natural e outros combustíveis fósseis para suprir suas necessidades energéticas.  Abu Dabi controla praticamente toda a vasta reserva de petróleo dos Emirados Árabes Unidos, país que ambientalistas dizem ser um dos maiores emissores de gases responsáveis pelo efeito estufa por membro da população. Ele busca se colocar na posição de líder em energias renováveis, apesar de ser o terceiro maior produtor de petróleo do Oriente Médio.  Sultan al-Jaber, chefe executivo da iniciativa de energia alternativa, disse que o plano criaria uma indústria de US$ 6 bilhões a 8 bilhões para o emirado. A grande queda nos preços do petróleo - fonte de grande parte da riqueza do emirado - e a crise financeira não atrasarão a implementação do projeto ou outra iniciativa de energia alternativa já anunciada, disse.  "Estamos olhando para além dessa crise mundial", disse al-Jaber. "Nosso apetite ainda é o mesmo. E ainda temos um apetite para procurar por novas oportunidades." Abu Dabi lançou Masdar, que descreve como uma "companhia energética do futuro" em 2006, com o objetivo de desenvolver o setor de tecnologia energética alternativa no emirado.  Os esforços da companhia estão concentrados em uma comunidade futurística de US$ 22 bilhões conhecida como Cidade de Masdar, que está sendo construída fora da capital.  Os desenvolvedores dizem que a cidade livre de carros e movida por energia solar será inteiramente neutra em carbono e não produzirá lixo quando estiver completada em 2016. Espera-se que abrigue 1.500 empresas e 40.000 moradores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.