Achadas pegadas de dinossauros mais antigas da América do Sul

As 300 pegadas de dinossauro de mais de 144 milhões de anos de idade foram achadas por dois camponeses

Efe

12 de novembro de 2008 | 19h09

Dois paleontólogos argentinos confirmaram que as pegadas de dinossauro descobertas há meses no sul da Bolívia por dois camponeses são as mais antigas da América do Sul, segundo informam nesta quarta-feira, 12, vários jornais.   O especialista Sebastián Apesteguía informou à imprensa que a descoberta consiste em 300 pegadas de dinossauro de mais de 144 milhões de anos de antiguidade que se encontram no município de Icla, no departamento de Chuquisaca.   "Tivemos a sorte de achar a localidade com as pegadas mais antigas do continente, cuja data dobra todas as demais conhecidas", assegurou Apesteguía, citado pelo jornal La Prensa.   O paleontólogo argentino, acompanhado de seu compatriota Pablo Ariel Gallina, permaneceram dez dias desde 31 de outubro fazendo estudos na região.   "Temos um dinossauro de tipo herbívoro que caminha junto a suas crianças, um dinossauro carnívoro e outro encouraçado que poderia ser um anquilossauro ou um ceratópsio", destacou o pesquisador, citado pelo jornal La Razón, de La Paz.   Foto: Efe   No entanto, afirmou que no próximo mês, após continuar com seus trabalhos na Argentina, "se saberá com toda certeza que tipo de animais foram os que deixaram suas pegadas nesse setor".   "Estamos começando a registrar uma nova fauna de dinossauros desconhecida que até agora não tinha sido registrada na Bolívia", afirmou o cientista.   Para Apesteguía, outro dado interessante é que as pegadas do adulto estão junto às dos filhotes, o que "significa que há um comportamento de manada e proteção e isso é importante na hora de estudar o comportamento".

Tudo o que sabemos sobre:
arqueologiadinossaurosciência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.