Acidente contamina rio deixa Uberlândia sem água

Mais de 250 mil habitantes de Uberlândia (MG) estão sem água desde a manhã de ontem, devido ao tombamento de um caminhão carregado de produtos químicos em um córrego que abastece a cidade. Cerca de 30 escolas das redes municipal e estadual suspenderam as aulas. A carga, altamente tóxica, estava sendo transportada de forma irregular e, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista - que morreu no local - teria dormido ao volante.O acidente aconteceu no km 107 da BR-050 (continuação da via Anhangüera). O caminhão Scânia, placas BXJ-0001, de General Salgado-SP, seguia de São Paulo para o Distrito Federal quando caiu em uma vala de 15 metros, ao lado da rodovia. A carga foi jogada no leito do Córrego da Divisa, afluente do rio Bom Jardim, que abastece Uberlândia. Por precaução, o Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE) cortou o fornecimento de água, até que as análises de contaminação dêem resultado negativo.De acordo com a PRF, o caminhão tinha como destino a cidade de Brasília. A carga, de 27 toneladas, estava irregular. Além de vários tonéis de produtos químicos, estavam sendo transportados alimentos, gás para geladeira, colchonetes, equipamentos para automóveis e tecidos para uso hospitalar, estes identificados como sendo da empresa DMI Materiais Médicos Hospitalares, de Brasília.Segundo o capitão Lucas, do Corpo de Bombeiros, 10 homens e duas viaturas foram para o local. "A carga precisa ser manuseada com muito cuidado, pois ainda existe risco de uma explosão". Segundo ele, o caminhão que não estava apto para o transporte de produtos químicos, carregava além dos alimentos e outros produtos, 1760 kg de ácido sulfônico; 400 kg de Embrasol; 4400 kg de pasta não-reativa azul, solução inflamável para a produção de tintas; 1920 kg de ácido sulfúrico; 600 kg de ácido sulfídrico; 1620 kg de ácido fluorídrico e 375 kg de soda cáustica. No DMAE, o diretor do órgão, Renato Celso Cardoso, informou que o município deverá entrar com uma denúncia junto ao Ministério Público. "É uma irresponsabilidade transportar produtos desse tipo sem o mínimo de cuidado". Ele ainda disse que, por mais dois dias, parte da população de Uberlândia deverá continuar sem água. "Vamos ter que desviar o leito do rio para que os produtos não se espalhem mais e para que possamos fazer a retirada total dos resíduos químicos".O corpo do motorista do caminhão, Ilton Ricardo Nunes, de 26 anos de idade, foi enterrado na tarde desta quinta-feira, na cidade de General Salgado - região de São José do Rio Preto (SP). Na empresa responsável pela carga, Transtavares, na cidade de São Paulo, nenhum responsável foi encontrado.

Agencia Estado,

18 de abril de 2002 | 16h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.