Acordo regula uso de dados sobre genoma do café

A Embrapa assinou um contrato de cooperação com a Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e o Fórum Permanente das Relações Universidade Empresa (Instituto Uniemp) para o lançamento do Projeto Genoma do Café. O contrato, assinado na terça, vai regulamentar o uso dos dados. De acordo com a Embrapa, o banco de dados poderá ser acessado gratuitamente por seis instituições públicas de ensino e pesquisa sem fins lucrativos ligadas à Fapesp e por 17 órgãos e instituições do Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café. Após dois anos, outras órgãos terão acesso à base de dados mediante o pagamento de royalties. O projeto teve custo total de R$ 6 milhões. Só o Ministério da Agricultura bancou R$ 1,92 milhão; a Fapesp investiu R$ 480 mil. O seqüenciamento do genoma do café é, de forma resumida, um mapa com as principais características das plantas cafeeiras.

Agencia Estado,

11 de agosto de 2004 | 09h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.