Adutora reestabelece parte do abastecimento em Uberaba

A construção de uma adutora alternativa de cerca de três quilômetros poderá garantir a normalização de 30% do abastecimentode água em Uberaba, no Triângulo Mineiro. A adutora bombeará a água do Córrego Lageado que também abastece o Rio Uberaba - contaminado, desdea última terça-feira, por 800 toneladas de produtos tóxicos que vazaram de 18 vagões descarrilados da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) -diretamente para a central de tratamento do Centro Operacional de Desenvolvimento e Saneamento (Cobau) do município. A previsão é de que a obra esteja pronta na próxima terça-feira. Com a adutora, serão disponibilizados cerca de 300 litros de água por segundo, equivalente a 30% do total retirado normalmente do Rio Uberaba. O curso d´água do ribeirão Alegria, onde aconteceu o acidente, será desviado a partir deste sábado. Com o desvio, a água não continuará mais passando no local onde houve o vazamento dos produtosquímicos, depois do descarrilamento. Enquanto o fornecimento de água não é normalizado, os 250 mil habitantes de Uberaba contam com a distribuição de cinco mil litros deágua mineral, por dia, feita pela FCA, através de caminhões-pipa, e com medidas improvisadas, como os poços artesianos e as minas d´água. Oresultado das primeiras amostras da água do Rio Uberaba e do córrego Alegria devem ser divulgadas hoje pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). O resultado do laudo pode definir a data danormalização do abastecimento de água para a região. Além de sofrer com a falta de água, cerca de 20 mil crianças tiveram sua vacinação, dentro da campanha nacional, comprometida. Devido à falta de água as crianças receberam somente a vacina contra a poliomielite, deixando de tomar a medida preventiva contra outras doenças.

Agencia Estado,

14 de junho de 2003 | 13h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.