África do Sul proíbe sacolas de plástico

O governo da África do Sul decidiu proibir que lojas distribuam a seu clientes sacolas plásticas para carregar mercadorias. A medida, que atinge bolsas de plástico com espessura inferior 30 micrômetros (milésimo de um milímetro), tem o objetivo de diminuir a sujeira nas ruas do país ? destino final de boa parte das sacolas.De acordo com o governo sul-africano, o país usa cerca de 8 bilhões de sacolas plásticas por ano. O comerciante que der sacolas proibidas para seus clientes poderá receber uma multa de cerca de US$ 13,8 mil (R$ 41,6 mil) ou mesmo ser condenado a dez anos de prisão. As sacolas já receberam até o apelido de "flor nacional" na África do Sul, por serem muito visíveis nas ruas do país. Agora, os consumidores terão duas opções: ou levar uma bolsa de casa para fazer suas compras ou adquirir uma nova sacola reutilizável, com uma espessura maior, o que também a tornaria a reciclagem mais fácil e mais lucrativa. "Nós não queremos que elas acabem nas ruas. Nós queremos que todos, fabricantes, lojistas e consumidores, comecem a reciclá-las", disse Phindile Makwakwa, porta-voz do Ministério do Meio Ambiente.As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

Agencia Estado,

09 de maio de 2003 | 20h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.