Agência espacial russa propõe criação de nave nuclear

Presidente russo Dmitry Medvedev elogia o plano, embora poucos detalhes tenham sido apresentados

Associated Press,

28 Outubro 2009 | 17h26

A Rússia deveria construir uma nova nave espacial com um motor nuclear, disse o chefe da agência espacial do país, prometendo que o desenvolvimento dará a Moscou a dianteira na corrida espacial.

 

Rússia espera que EUA prorroguem uso de ônibus espaciais

Rússia adia por 2 anos lançamento de nova nave a Marte

 

O presidente  Dmitry Medvedev saudou o plano e ordenou ao gabinete que encontre os recursos para implementar o plano, mas ambientalistas manifestaram preocupação.

 

O chefe da Agência Espacial Federal, Anatoly Perminov, disse numa reunião do governo que o projeto preliminar pode estar pronto em 2012. Ele afirmou que seriam necessários nove anos e 17 bilhões de rublos (US$ 600 milhões) para construir a nave.

 

"A implementação desse projeto permitirá que atinjamos um novo nível tecnológico, ultrapassando o desenvolvimento estrangeiro", disse ele.

 

"Trata-se de um projeto muito sério", afirmou Medvedev. "Precisamos encontrar o dinheiro".

 

A fala ambiciosa de Perminov contrasta com o estado atual do programa espacial russo, e pareceu mais um pedido por mais dinheiro que um plano uma proposta detalhada.

 

A Rússia vem usando foguetes e cápsulas Soyuz, criados há 40 anos, para enviar tripulações à Estação Espacial Internacional (ISS). A despeito da idade de seu design, o sistema Soyuz se mostrou mais confiável e seguro que os ônibus espaciais americanos, que têm três décadas.

 

O desenvolvimento de um novo sistema de foguetes e cápsulas tripuladas, com combustível convencional, vem se arrastando.

 

Mas a Rússia deve assumir um papel de maior destaque na exploração espacial nos próximos anos, com o hiato nos lançamentos de astronautas pelos Estados Unidos, entre a aposentadoria dos ônibus espaciais e a entrada em ação da nova geração de naves americanas.

 

Não está claro se Perminov prevê o uso de motores nucleares para levar foguetes ou naves ao espaço, ou como um meio de propulsão depois que a nave já se encontra em órbita.

 

O engenheiro da Nasa Stanley Borowski, especialista em foguetes nucleares, disse que motores de fissão nuclear geram partículas radioativas que podem escapar. "Nunca falamos em usá-los no lançamento da Terra para a órbita", disse ele. "Do jeito que tratamos o assunto na Nasa, é para uso no espaço profundo".

 

No espaço profundo, foguetes nucleares têm o dobro da eficiência dos movidos a combustível comum.

Perminov disse que sua nave teria um reator nuclear capaz de gerar megawatts de potência, diferentemente dos reatores menores que alimentavam alguns satélites da era soviética e produziam poucos quilowatts.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.