Agentes químicos passam de mãe para feto

Um estudo publicado pelo Greenpeace na Holanda revela que substânciasquímicas perigosas presentes em produtos de uso doméstico cotidianopodem passar de mãe para filho através da placenta, expondo os fetosa possíveis danos causados por estes agentes.Na pesquisa, foram analisados no Hospital de Groningen, no norteda Holanda, 42 amostras de cordões umbilicais e 27 amostras desangue materno para determinar a presença de oito grupos químicosconsiderados perigosos.Estes agentes químicos, como o triclosan, estão em produtos deuso doméstico diário como computadores, perfumes, camisetas esapatos, diz o relatório.O Greenpeace denuncia que a presença destas substâncias noscordões umbilicais analisados mostra que, além dos adultos, os bebêsem fase de gestação também estão expostos aos possíveis danos porestes agentes, que são transmitidos através da placenta.Ainda não se sabe os danos que estes agentes poderiam causar naevolução do bebê e, segundo o Greenpeace, é preciso fazer umapesquisa complementar para determinar estes riscos.A organização lembrou que algumas destas substâncias, como osftalatos - presentes em produtos de PVC - detectados em 29 cordõesumbilicais, podem prejudicar o sistema reprodutor masculino.Os ecologistas pedem que os governos "coloquem em práticamecanismos que obriguem as indústrias a substituir estas substânciaspor alternativas mais seguras", informa o relatório. Da mesma forma, a organização exige que as indústrias químicas invistam em pesquisas para reduzir a exposição humana a estes agentes químicos.

Agencia Estado,

08 de setembro de 2005 | 09h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.