<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Água do Paraíba começa a ser cobrada em março

A cobrança pelo uso da água do Rio Paraíba do Sul começará em março. Dos três Estados que captam água do rio, São Paulo foi o que mais cadastrou empresas, segundo balanço fechado no dia 20 pela Agência Nacional de Águas (ANA). Foram 3.013 empresas paulistas que se comprometeram a pagar pela água retirada do rio, 596 de Minas e 403 do Rio. O número em São Paulo corresponde a 75% do total de empresas cadastradas.No Vale do Paraíba - onde existem cerca de 2.500 estabelecimentos usuários da água do Paraíba do Sul - apenas 113 preencheram o cadastro. Apesar do baixo porcentual (4,5%), o índice não preocupa o Comitê para Integração das Bacias Hidrográficas (Ceivap). "Quem não se cadastrou foram as pequenas empresas. As grandes, que representam mais de 80% da utilização da água, fizeram o cadastramento", informou o secretário do Ceivap, Edílson Andrade.O problema encontrado no Vale do Paraíba é semelhante ao do Rio. Apenas 10% das empresas fluminenses que utilizam a água se inscreveram para a cobrança. "Porém, a grande usuária de água, a Companhia Siderúrgica Nacional, que consome 8 mil litros por segundo, fez o cadastramento."Os usuários que fizeram o cadastro terão desconto de 18% sobre a alíquota cobrada. Os que se inscreverem a partir deste mês não terão a mesma redução. "A intenção não é punir e sim educar", disse Andrade, informando que não haverá multa para os novos cadastrados.Na tarde desta quarta-feira, o Ceivap reuniu-se com a ONG Vale Verde, em São José dos Campos, para discutir maneiras de atrair novas empresas para a cobrança. "A ANA vai acionar as empresas que não se cadastraram e a ONG vai ajudar até no preenchimento da ficha."Indústrias e empresas de saneamento pagarão R$ 0,02 para cada mil litros de água captada e devolvida suja ao rio. O valor cai para R$ 0,008 se a mesma quantidade for tratada antes de ser despejada. Para os agricultores, a taxa é de R$ 0,0005 por mil litros consumidos. Com a arrecadação, a ANA espera em um ano atingir a cifra de R$ 11 milhões, que vai ajudar na despoluição do rio.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2003 | 20h43

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
4, 90
/ mês
Nos três primeiros meses
R$ 9,90/mês a partir do quarto mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
Nos três primeiros meses
R$ 19,90/mês a partir do quarto mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital + Voucher R$50 Centauro
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.
  • Voucher de R$50,00 na Centauro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.