Águas-vivas gigantes enxameiam o Mar do Japão

Milhares de águas-vivas gigantes, algumas com cabeças tão grandes quanto o porta-malas de um carro, apareceram no Mar do Japão pelo segundo ano consecutivo, entalando-se nas redes dos pescadores, segundo informou, hoje, Katashi Sugimoto, supervisor de pesca da prefeitura de Fukui, na costa de Echizen.Desde meados de setembro, as águas-vivas, com mais de um metro de diâmetro em média e pesando 100 quilos, estão atormentando a vida dos pescadores da região. A água-viva pode crescer 15 metros, da cabeça às pontas dos tentáculos. O veneno em seus tentáculos não é letal para o homem mas causa queimaduras bastante fortes. Cientistas dizem que a espécie, batizada como stomolophus nomurai, foi descoberta no Mar da China. Não se sabe porque ela começou a aparecer, esporadicamente, no Mar do Japão, entre o Japão e a Península Coreana, a partir de 1920. Uma hipótese provável é o aquecimento das águas. A última vez que o fenômeno aconteceu pelo segundo ano consecutivo foi em 1995 e a primeira, em 1958.Embora os chineses a desidratem e usem na preparação de pratos de sua culinária, a água-viva, que no Japão não é tida como alimento, é considerada um transtorno pelos pescadores japoneses. No começo de setembro, eles começaram a deparar com águas-vivas aos milhares, segundo Sugimoto.E começaram as reclamações por causa dos prejuízos que causam. Pegas nas redes, elas acabam matando os peixes e camarões. Mas a pesca generosa deste verão deve compensar as perdas do outono, acredita Sugimoto.

Agencia Estado,

20 de outubro de 2003 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.