Stacy Sodolak/The New York Times
Stacy Sodolak/The New York Times
Imagem Fernando Reinach
Colunista
Fernando Reinach
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Avisos para motoristas nas estradas podem causar mais acidentes?

Projeto de ‘prevenção’ esteve por trás de 2,6 mil acidentes e 16 óbitos por ano no Texas, nos Estados Unidos

Fernando Reinach*, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2022 | 05h00

A premissa por trás de um número enorme de campanhas de segurança é avisar a pessoa do risco que ela corre: veja se o elevador esta parado no andar antes de entrar, olhe a esquerda antes de atravessar a rua, segure no corrimão ao descer a escada. Nos deparamos com dezenas dessas placas todos os dias. A crença generalizada é de que, ao nos conscientizarmos dos riscos, iremos evitá-los. Mas essa crença nunca havia sido submetida a um teste cientifico. Agora isso foi feito e os cientistas descobriram que esses avisos aumentam as chances de acidentes.

Nos EUA foi feita uma campanha para evitar acidentes de trânsito. Ela consiste em colocar ao longo da estrada avisos luminosos com o número de acidentes e mortes que ocorreram no último mês. No Estado do Texas os avisos são mostrados somente uma semana por mês; nas outras três semanas, os avisos ficam apagados. Do ponto de vista dos cientistas esse é um experimento perfeito: permite comparar diretamente o numero de acidentes que ocorrem nos períodos que as placas alertam os motoristas, com os períodos em que as placas estão desligadas. A campanha começou em 2012 e existem 900 dessas placas distribuídas pelas estradas do Texas.

Os cientistas identificaram, no período que vai de 1 de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2017, todos os acidentes de carro que ocorreram no Texas, a que distância que eles ocorreram de uma dessas placas, e se a placa estava ligada ou desligada no momento de cada acidente. Os resultados dessa comparação mostram que, quando as placas estavam ligadas, e os motoristas estavam sendo informados do número de acidentes e mortes, ocorreram 4,5% mais acidentes. Esse aumento é maior nos 5 quilômetros após a placa quando ela estava ligada, diminuía após 10 quilômetros do local onde estava a placa, e deixava de existir onde não havia placas por perto. Computando os acidentes e mortes que podem ser atribuídos à presença dos avisos ativados, os cientistas concluíram que esse projeto de “prevenção” de acidentes causou 2.600 acidentes e 16 mortes por ano no Texas, um prejuízo de US$ 377 milhões.

Os cientistas acreditam que os avisos chamam a atenção dos motoristas, diminuem a concentração e, por isso, aumentam a quantidade de acidentes. Esse resultado é mais um exemplo de como a ciência muitas vezes destrói nossas crenças.

MAIS INFORMAÇÕES: CAN BEHAVIORAL INTERVENTIONS BE TOO SALIENT? EVIDENCE FROM TRAFFIC SAFETY MESSAGES. SCIENCE HTTPS://WWW.SCIENCE.ORG/DOI/10.1126/SCIENCE.ABM3427 2022

* É BIÓLOGO, PHD EM BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR PELA CORNELL UNIVERSITY E AUTOR DE A CHEGADA DO NOVO CORONAVÍRUS NO BRASIL; FOLHA DE LÓTUS, ESCORREGADOR DE MOSQUITO; E A LONGA MARCHA DOS GRILOS CANIBAIS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.