EFE
EFE

Alpinistas encontram corpos mumificados em vulcão no México

Múmias morreram há cerca de 50 anos; posição dos corpos permite supor que estavam abraçados no momento da morte

O Estado de S. paulo

06 Março 2015 | 16h16

Um grupo de alpinistas mexicanos que escalou, na madrugada desta quinta-feira, 5, o vulcão Pico de Orizaba, no México, para recuperar os restos mumificados de um homem, achou um segundo corpo, segundo confirmaram nesta sexta-feira, 6, as autoridades locais.

No fim de semana passado, seis alpinistas encontraram acidentalmente o corpo de um homem congelado que possivelmente morreu no vulcão há cerca de 50 anos.

Após a descoberta, os alpinistas informaram o grupo de resgate da Cruz Vermelha Mexicana, que programou uma subida para o próximo domingo a fim de recuperar o corpo. Mas as autoridades de Chalchicomula de Sesma adiantaram a expedição para a madrugada desta quinta.

O alpinista Hilario Aguilar liderou um grupo de 12 escaladores profissionais que começaram a subir o vulcão desde as 5h (horário local) e, 11 horas depois, encontraram ambos os corpos. 

"Originalmente buscava-se descer com só corpo, mas os especialistas encontraram dois. Estavam muito próximos", disse Juan Navarro, prefeito de Chalchicomula de Sesma, no Estado de Puebla.

O mau tempo, entretanto, impediu o resgate dos corpos no mesmo dia e a previsão é que os alpinistas desçam esta sexta-feira com as múmias congeladas. 

A posição dos dois corpos mumificados permite supor que os homens morreram abraçados, contaram os socorristas que escalaram o vulcão.

O escalador Francisco Rodríguez, que é diretor de Proteção Civil de Chalchicomula de Sesma, destacou que nos corpos congelados é possível distinguir a cor dos fragmentos de roupa que ainda se conserva, uma mochila e parte dos dentes. 

Navarro disse ainda que solicitou ao Governo de Puebla um helicóptero para apoiar a expedição de resgate. Também foram convocados outros grupos de alpinistas para ajudar na missão.

O prefeito contou também que recebeu chamadas de vários países, entre eles França, Espanha e Alemanha, para acompanhar a identificação dos corpos já que existem registros de escaladores profissionais perdidos durante anos no vulcão.

O Pico de Orizaba, localizado nos limites entre Puebla e Veraruz, é a montanha mais alta do México com 5.630 metros de altitude e a terceira da América do Norte./AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

   

Mais conteúdo sobre:
México múmias

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.