Amazônia terá novo centro para estudo da biodiversidade

Será inaugurado na próxima quarta-feira, em Manaus, o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), que vai comandar uma rede de laboratórios voltadospara o estudo da biodiversidade da região.?O CBA vai desenvolver a biotecnologia daAmazônia, visando o desenvolvimento da bioindústria?, disse o ministro doDesenvolvimento, Sergio Amaral, em entrevista coletiva.Foram gastos R$ 14 milhões em quase 4 anos de obras para a construção do centro, que entra em operação em 2003. ?Estamos deixando para o próximo governo o prédio acabado e um orçamento de R$ 17 milhões para o próximo ano?, disse Amaral.O ministro da Ciência e Tecnologia, Ronaldo Sardenberg, informou que até a próxima semana receberá de consultores uma proposta de gestão do centro que será entregue ao próximo governo.Sardenberg disse que o CBA poderá operar em conjunto não só com grandes empresas mas também micro, pequenas e médias empresas. Antes mesmo da inauguração, algumas empresas de grande porte já assinaram convênios para investir no Centro, segundo Amaral.Entre elas, estão a Pepsi, a Coca-Cola, a Ambev e empresas de cosméticos como a Natura. De acordo com as informações de Sérgio Amaral, no caso das empresas de bebidas, o interesse é no desenvolvimento de extratos concentrados, como de guaraná, para bebidas não-alcóolicas.A Natura tem interesse em pesquisas sobre óleos, corantes e outros materiais cosméticos. No complexo laboratorial funcionará uma central de produção de extratos, centrais de pesquisa e uma incubadora, que ajudará na criação de novasempresas e na melhoria das já existentes.O CBA é resultado de uma parceria entre osMinistérios do Desenvolvimento, da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente.

Agencia Estado,

16 de dezembro de 2002 | 17h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.