Ambientalista é é uma das Dez Mulheres de Destaque

A cientista social e coordenadora do Programa de Meio Ambiente do Instituto de Estudos da Religião (Iser), Samyra Crespo, é uma das dez mulheres que tiveram seu trabalho destacado em 2002 pelo Conselho Nacional de Mulheres do Brasil. Antes dela, uma das poucas ambientalistas a receber a mesma distinção foi a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.A premiação acontece anualmente desde 1966 e tem por objetivo prestar reconhecimento ao trabalho de mulheres que colaboram para a integração feminina ao desenvolvimento social, econômico e político do país. A cerimônia, realizada nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, comemora o Dia Nacional da Mulher, em 30 de abril.Samyra Crespo coordenou as diversas edições da pesquisa "O que o Brasileiro Pensa do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável?", realizada pela última vez no ano passado. Também é responsável pelo Relatório Ambiental Urbano Integrado Geo-Cidades, cuja metodologia foi adotada pelo Programa das Nações Unidas sobre Meio Ambiente (Pnuma) para o diagnóstico dos principais problemas ambientais urbanos na América Latina e Caribe."A maioria das mulheres premiadas desde os anos 70 vem da área social, do movimento feminino, e o fato de estarem aumentando as mulheres ambientalistas indicadas mostra um reconhecimento da sociedade da importância do tema", comentou Samyra. "Ao mesmo tempo, quando alcançamos uma premiação assim, sabemos que existem dezenas de outras mulheres, ao nosso lado, que nos ajudaram e nem sempre aparecem, portanto é uma honra para mim representá-las."

Agencia Estado,

25 de abril de 2003 | 18h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.