América Latina tenta integrar indicadores ambientais

Representantes de instituições ambientais e agências de desenvolvimento de 15 países estão reunidos no Rio, a partir desta segunda-feira, para harmonizar estatísticas e indicadores ambientais na América Latina.O presidente do IBGE, Eduardo Nunes, explicou que esse é o terceiro evento realizado pela Comissão Econômica para a América Latina (Cepal) para buscar integração dos dados, como já ocorreu no caso dos indicadores econômicos e sociais.Ele adiantou que o IBGE divulgará um novo indicador de desenvolvimento sustentável no ano que vem, mas os dados do estudo ainda não estarão harmonizados com outros países. Dois estudos anteriores já foram divulgados em 2002 e 2004.Além da Cepal e do IBGE, o projeto de integração da indicadores e estatísticas ambientais tem a participação da Agência Sueca de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Asdi) e do Banco Mundial. Os encontros anteriores foram no Chile e na Argentina.SaneamentoO diretor da Cepal, Renato Baumann, disse que o Brasil tem avançado bastante no meio ambiente no que diz respeito ao lado institucional, com criação de ministério e agências específicas sobre o tema. Isso é comum em países cujas economias dependem diretamente de recursos naturais, como é o caso doBrasil, observou.No entanto, Baumann chama atenção que é "preocupante" a questão do saneamento básico no Brasil, setor que está ligado ao meio ambiente e em que a universalização dos serviços está bem aquém de outros países. Ele avalia que a questão do saneamento brasileiro se agrava porque, enquanto na maior parte dos países da América Latina a pobreza está concentrada na área rural, no Brasil dois terços dos pobres estão nas áreas urbanas.Segundo Baumann, o trabalho de harmonização dos indicadores ambientais é de longo prazo, aperfeiçoamento contínuo e não tem data para conclusão.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2005 | 14h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.