Americana violentada por padres recebe US$ 500 mil

Rita Milla tinha 16 anos quando foi abusada por sete padres e ficou grávida; negociações duraram 20 anos

Efe,

05 de dezembro de 2007 | 02h14

A arquidiocese católica de Los Angeles pagará uma indenização de US$ 500 mil a uma mulher que denunciou ter sido abusada sexualmente por sete padres, informou nesta terça-feira a rede de televisão CBS. Em uma entrevista coletiva em Los Angeles (Califórnia), Rita Milla, de 46 anos, disse que a indenização foi resultado de negociações com a arquidiocese que se estenderam durante mais de duas décadas. "Estou extremamente feliz e aliviada. Nunca poderei fugir das lembranças e sempre estarei lutando contra o trauma a que fui submetida", disse. Segundo Gloria Allred, advogada de Milla, a sua cliente tinha 16 anos quando o padre Santiago Tamayo fez insinuações sexuais e manteve relações com ela. Depois apresentou a então adolescente a outros seis sacerdotes, que abusaram sexualmente dela. Um deles a deixou grávida, acrescentou. Confirmada a gravidez, Tamayo ofereceu a Milla dinheiro para ir às Filipinas e abortar. Pouco antes de morrer, em 1999, Tamayo pediu desculpas e apresentou as provas que incriminavam os outros padres, acrescentou a advogada. Um tribunal do estado determinou em 2003 que o padre Valentine Tugade era o pai da filha de Milla. A arquidiocese não comentou o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.