Anéis de Saturno podem existir já há bilhões de anos

Dados revelados pela sonda Cassini indicam que as partículas que compõem o sistema se reciclam

Jonathan Amos, BBC

13 de dezembro de 2007 | 06h50

Dados captados pela sonda Cassini indicam que as fileiras delgadas de partículas que compõem os anéis já existiam há três bilhões de anos e que provavelmente ainda vão existir por muito mais anos.    Cinturão de luas ajuda a desvendar origem dos anéis de Saturno  Lua pulverizada pode explicar anel misterioso de SaturnoA revelação também pode significar que a vista do planeta com seus anéis pode ficar muito mais reluzente nos próximos anos. Dados anteriores haviam levado pesquisadores a acreditar que os anéis foram criados há 100 milhões de anos, quando uma lua gigante ou um cometa se espatifou próximo de Saturno. "Apesar de o que se pensou depois da investigação (de 1970) da Voyager em Saturno - de que os anéis de Saturno pudessem ser muito jovens, talvez tão antigos quanto os dinossauros - nós temos resultados que mostram que os anéis poderiam ter a idade do sistema solar e que talvez eles existirão por bilhões de anos", disse o cientista Larry Esposito a respeito dos dados, durante uma reunião da União Americana de Geofísica. A Cassini vem analisando os anéis de Saturno com espectrógrafos ultravioleta (UVIS, na sigla em inglês). A sonda observa a luz que reflete e que atravessa as partículas do anel. Os dados indicam que os anéis não podem ter sido criados por um evento recente e isolado, já que há partículas de períodos diversos. Segundo Esposito, os pesquisadores acreditam que as partículas que compõem o anel estão constantemente se reciclando. Os cientistas acreditavam que anéis muito antigos deveriam ser mais escuros, devido à poluição provocada por poeira dos meteoros. Mas a hipótese da reciclagem de partículas explicaria porque os anéis continuam reluzentes quando observados por telescópios e sondas.     BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.