Antártida perdeu mais gelo nos últimos 10 anos, diz estudo

O gelo derreteu especialmente no oeste da Antártida, com 132 bilhões de toneladas perdidas em 2006

DEBORAH ZABARENKO, REUTERS

14 de janeiro de 2008 | 19h40

A Antártida perdeu dezenas debilhões de toneladas de gelo na última década, o que contribuiucom a elevação dos mares no mundo, disseram pesquisadoresclimáticos na segunda-feira. O gelo derreteu especialmente no oeste da Antártida (132bilhões de toneladas perdidas em 2006, contra 83 bilhões em1996) e na península Antártica, que se prolonga em direção àAmérica do Sul (60 bilhões de toneladas perdidas em 2006),segundo artigo de Eric Rignot e colegas na revista Geoscience. O grupo usou imagens de satélite para monitorar o litoralda Antártida. Em nota, outro pesquisador, Jonathan Bamber, lembrou que 4bilhões de toneladas de gelo bastariam para fornecer águapotável aos mais de 60 milhões de britânicos durante um ano. O gelo foi perdido das geleiras que cobrem grande parte docontinente, o que significa que contribuiu diretamente com aelevação do nível dos mares --o que não acontece tanto quando éo gelo do próprio mar que derrete. Em entrevista por email, Rignot, do Laboratório dePropulsão a Jato dos EUA, disse que em 2006 a Antártidacontribuiu em 0,5 milímetro para a elevação dos mares. Em 1996,havia contribuído com apenas 0,1 milímetro. Rignot lembrou que o Painel Intergovernamental da ONU paraa Mudança Climática (IPCC) havia previsto que a Antártida nãocontribuiria com o aumento dos mares e que na verdade a camadade gelo marítimo no seu litoral acabaria subindo, devido àmaior precipitação pluviométrica --o que não aconteceu atéagora, disse o pesquisador. "Em algumas regiões, a capa de gelo está perto de fontesquentes de água. As partes da Antártida em que estamos vendo amudança agora são as mais próximas dessas fontes de calor",afirmou. Essas conclusões estão de acordo com o que está acontecendona capa de gelo da Groenlândia, que teve um derretimentorecorde no ano passado, e com estudos do gelo do Ártico, que em2007 encolheu para a menor área já registrada. Estudo divulgado na semana passada pela Universidade doColorado em Boulder concluiu que o gelo mais velho e espesso doÁrtico, que deveria durar de um ano para outro, está dandolugar a um gelo marítimo mais novo e fino, mais suscetível aodegelo.

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIAANTARTIDAGELO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.