Scott Heppell/AP
Scott Heppell/AP

Antiquário é condenado por posse de peças furtadas de Shakespeare

Britânico pegará 8 anos de prisão por tentar vender 1ª edição de 'First Folio' a centro de pesquisa dos EUA

Efe

02 Agosto 2010 | 17h00

LONDRES - O antiquário britânico desempregado Raymond Scott foi condenado nesta segunda-feira, 2, a oito anos de prisão por posse da primeira edição de "First Folio", uma valiosa coleção das peças teatrais de Shakespeare, da qual se conservam menos de 250 exemplares originais.

Ao ditar a sentença em um tribunal de Newcastle, no nordeste da Inglaterra, o juiz Richard Lowden disse que Scott, que vivia como playboy e dirigia uma Ferrari apesar de acumular enormes dívidas, é "um fantasioso" e, "até certo ponto, tem transtorno de personalidade".

O condenado, de 53 anos, não foi acusado pelo furto da obra - subtraída da universidade inglesa de Durham em 1998. Ele foi descoberto ao tentar oferecê-la à Folger Shakespeare Library de Washington (EUA), um dos principais centros de pesquisa sobre o dramaturgo britânico William Shakespeare (1564-1616).

No centro, os funcionários reconheceram o livro e avisaram a polícia, o FBI (Polícia Federal americana) e a embaixada britânica.

"Sua motivação era lucro financeiro", afirmou o juiz, para quem o réu queria "financiar um ridículo estilo de vida de playboy para impressionar uma mulher que tinha conhecido em Cuba".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.