Anunciada a descoberta de nova espécie de dinossauro no Brasil

Pesquisadores brasileiros anunciaram nesta quinta-feira a descoberta de um dos mais completos e bem preservados esqueletos de dinossauros já encontrados no País. Trata-se do Unaysaurus tolentinoi, do grupo dos prosauropodes, os primeiros dinos a surgirem no planeta, há 225 milhões de anos, no período Triássico. Os fósseis estavam em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. "Esse é o primeiro prosauropode encontrado no Brasil. Essa descoberta coloca o Brasil no cenário mundial da pesquisa paleontológica", disse Alexander Kellner, pesquisador do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, que atuou na pesquisa.O Unaysaurus tolentinoi era um herbívoro bípede de 2,5 metros de comprimento e 70 centímetros de altura (da cintura ao chão, sem contar o pescoço comprido). "Os primeiros dinossauros a surgirem eram pequenos. Essa espécie tem uma depressão no crânio e uma crista no úmero nunca antes encontrados em nenhuma outra espécie. Essas características indicam que se trata de uma espécie nova", explica o coordenador da pesquisa, o biólogo Luciano Leal.O novo dinossauro - a 11.ª espécie descoberta no Brasil - surpreendeu os pesquisadores. Ao contrário do que se esperava, ele não era aparentado com dinossauros que viveram no mesmo período na norte da Argentina, mas com espécies encontradas na Alemanha. "Provavelmente eles surgiram naquela região do Sul do Brasil e se espalharam amplamente pelo supercontinente Pangea, quando todas as partes da Terra eram unidas", diz Leal.O Unaysaurus tolentinoi foi encontrado em 1998 pelo aposentado Tolentino Marafiga - e por isso leva o seu nome. Marafiga passava pela região de Água Negra (unay, em tupi), por uma estrada de terra que liga São Martinho da Serra a Santa Maria, a caminho de um jogo de bocha. Estranhou o que parecia ser uma mão saindo de uma pedra e ligou para o pesquisador Átila Rosa, da Universidade Federal de Santa Maria. Os pesquisadores encontraram um crânio quase completo, seqüência de vértebras dorsais e da cauda, os dois braços, tíbias, parte do fêmur e falanges. O dinossauro estava recurvado sobre si.O financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio (Faperj) permitiu que os pesquisadores reproduzissem o Unaysaurus em tamanho natural - é o terceiro dinossauro a ser reconstituído pelos pesquisadores do Museu Nacional. O modelo será exibido no museu, na Quinta da Boa Vista, a partir desta sexta-feira.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2004 | 18h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.