Anúncio de clonagem recebe críticas na França

O geneticista Axel Kahn, falando hoje em nome da comunidade científica francesa, considerou "revoltante e repulsivo" o anúncio feito nos Estados Unidos, pela bióloga parisiense Brigitte Boisselier, sobre o nascimento da primeira criança clonada, que teria sexo feminino."Enquanto a seita raeliana (que promoveu a suposta clonagem) não produzir a prova cientifica dessa procriação industrial, pela qual se trata a vida humana da mesma forma como se fabrica uma salsicha, não devemos considerar o anúncio", afirmou, lembrando que Brigitte "já se habituou a proclamar verdades não confirmadas pelos fatos". Diretor do Centro Francês de Genética Molecular, Axel Khan fez ver em seguida os riscos em que incorrem os seres humanos gerados pela clonagem, tomando como base o que se passa com os animais: " Pelo menos 50% dos animais assim nascidos, quando não morrem logo depois, apresentam diferentes tipos de defeito físico e vêm ao mundo já atacados de doenças, não possuem as condições biológicas que lhes assegurem um desenvolvimento normal, estão sujeitos ao envelhecimento precoce, etc. No caso de um ser humano, tem-se que considerar ainda as condições psicológicas, que não serão do tipo a garantir-lhe uma vida normal, em pé de igualdade em matéria de valores humanos com as pessoas nascidas da reprodução sexual."Enquanto os especialistas debatiam os aspectos científicos e os problemas de bioética colocados pelo anunciado nascimento do primeiro clone humano, a mídia européia "dissecava" o credo e os objetivos da seita raeliana, fundada em 1973. Segundo o "Raël" ou guru da seita, o antigo cronista esportivo francês Claude Vorilhon, a terra foi criada por extraterrestres "que irão invadi-la proximamente"- graças à engenharia genética. A ressurreição de Jesus Cristo deveu-se à clonagem realizada pelo ser supremo Elohim, e será por meio de tal procedimento que a humanidade se tornará inteiramente clonada e viverá eternamente. A seita prevê ainda a tomada do poder no mundo pela "geniocracia", formada por seres humanos nascidos em laboratórios e dotados de uma inteligência que põe no chinelo a de todos os grandes pensadores vindos ao planeta pela reprodução sexual.Ao resumir a teoria fantasmagórica da seita raeliana, o comitê parisiense das grandes confissões religiosas define que o catolicismo, o protestantismo, o judaísmo, o islamismo condenam categoricamente a clonagem humana, pois constitui um "ato de negação do mistério da Criação e da imagem de Deus que todo homem traz em si próprio".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.