Após relatório duro, papa ameniza tom com freiras dos EUA

O papa Bento 16 estendeu um ramo de oliveira nesta sexta-feira para as freiras católicas dos Estados Unidos, atingidas por um duro relatório do Vaticano que as criticou por serem feministas e politizadas.

PHILI, REUTERS

18 Maio 2012 | 16h02

"Gostaria de reafirmar minha profunda gratidão pelo exemplo de fidelidade e de auto-sacrifício dado por muitas mulheres consagradas (freiras) no país de vocês", disse ele ao falar com bispos dos Estados Unidos em visita no Vaticano.

Em referência ao mal-estar sentido por muitas freiras norte-americanas após o relatório divulgado no mês passado, ele disse esperar que "este momento de discernimento produza frutos espirituais abundantes para a revitalização e o fortalecimento de suas comunidades em fidelidade a Cristo e à Igreja."

Há um mês, o departamento de doutrinas do Vaticano, chefiado pelo papa durante muitos anos antes de ele ser eleito em 2005, emitiu um relatório furioso sobre a atividade da maioria das freiras norte-americanas.

Ele foi emitido depois que uma investigação do Vaticano verificou que a Conferência de Liderança de Mulheres Religiosas, cujas 1.500 integrantes representam cerca de 80 por cento das freiras dos Estados Unidos, tinham "sérios problemas doutrinários" e promoviam "ideias feministas radicais incompatíveis com a fé católica".

O relatório, que também criticou a conferência por algumas vezes desafiar os bispos, chocou a maioria das freiras norte-americanas e gerou uma série de apoios na mídia e entre a população à conferência e ao trabalho das freiras junto aos pobres e nas escolas e hospitais.

Um movimento no Twitter em apoio às freiras atraiu milhares de pessoas.

O relatório disse que a conferência permaneceu "calada sobre o direito à vida" e não fez do "ponto de vista bíblico da vida em família e da sexualidade humana" um ponto central de sua agenda.

Em sua fala aos bispos norte-americanos em visita ao Vaticano, o papa não mencionou o relatório e usou uma linguagem bem mais amena para descrever seu ponto de vista sobre a vida religiosa.

"A necessidade urgente em nossa época de testemunhos dignos de crédito e atraentes ao poder redentor e transformador do Evangelho torna essencial recapturar o sentido da dignidade sublime e da beleza da vida consagrada", afirmou Bento 16.

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAOPAPAFREIRASEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.