Apreendidos 3 mil animais silvestres na Via Dutra

Camuflados em meio a uma carga química, cerca de 3 mil aves, mamíferos e répteis da fauna brasileira foram descobertos por fiscais do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e policiais civis e ambientais, que realizavam uma operação conjunta, ontem (20/3), na Rodovia Presidente Dutra, em Guarulhos, São Paulo. Os animais vinham de Feira de Santana, na Bahia. ?Foi a maior apreensão de animais de que tenho conhecimento?, disse Wilson Almeida Lima, gerente do Ibama no estado de São Paulo. ?E, pela primeira vez, apreendemos também o caminhão, retido na delegacia de Guarulhos. Só a carga será liberada pois era legal e de terceiros. Estamos usando de todos os recursos previstos na legislação, para tentar coibir o tráfico e esperamos que a punição da Justiça seja condizente com uma apreensão desta ordem: não são nem 3 nem 100, mas 3 mil animais!?. O motorista, Wanderlei da Silva Ribeiro, contratado pela empresa Rápido 900 para transportar uma carga de produtos químicos, e o casal José de Santana Silva e Deuzari dos Santos Silva, apresentaram-se como donos dos animais. Eles foram multados em R$ 1,5 milhão, cada um. A multa é a soma de R$ 500 por animal, chegando até R$ 3 mil, no caso das espécies ameaçadas de extinção. Eles também foram autuados por transportar animais silvestres sem autorização e responderão inquérito por crime ambiental.Na carga ilegal de animais havia 2.682 pássaros (corrupião, papa-capim, galo-de-campina, cravina, brejal, pássaro preto, azulão e caboclinho), 80 papagaios, 78 periquitos, 81 saguis e 38 iguanas. Pelo menos 102 animais estavam mortos, sendo 35 galos-de-campina e 31 azulões, mas este total pode aumentar pois nem todas as gaiolas foram examinadas, dada a urgência de transferência para o Centro Especializado de Manejo de Animais Silvestres (Cemas) da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, para evitar mais mortes por sufocamento. ?Os animais estavam muito amontoados, em caixas muito apertadas, então fizemos uma contagem rápida, à medida em que os transferimos para viveiros maiores e depois vamos verificar quantos estão mortos no fundo da carga?, acrescenta Lima. Quando se recuperarem, os animais serão soltos ou encaminhados para criadouros legais. Esta é uma época de reprodução para várias das espécies apreendidas e o fato da carga conter animais adultos, que poderiam estar se reproduzindo, agrava o impacto de sua retirada da natureza.

Agencia Estado,

21 de março de 2003 | 10h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.