Aquecimento global aumenta riscos de doenças

O aquecimento do planeta está aumentando os riscos de doenças, tanto em plantas e animais, como nas populações humanas. Essa é a conclusão de uma equipe de pesquisadores sediada no Departamento de Ecologia da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, que tem seu trabalho publicado na edição de amanhã da revista Science.Os sete pesquisadores, liderados pelo biólogo Drew Harvell, analisaram durante dois anos as relações entre as epidemias em animais e plantas com as mudanças climáticas e de temperatura. A conclusão a que chegaram soa como um alerta. "O surpreendente é que as epidemias são favorecidas pelo aquecimento com tipos muito diferentes de patógenos e anfitriões, incluindo os humanos", ressalta Harvell."Não queremos parecer alarmistas, mas estamos alarmados", diz Richard Ostfeld, do Instituto de Estudos de Ecossistemas de Millbrook, Nova York, que também participou do estudo. Para ele, "como compartilhamos muitas doenças com outros animais, o risco para nós cresce muito."As mudanças climáticas afetam mais fortemente os animais terrestres de vida livre, porque o aquecimento favorece a distribuição geográfica dos transmissores, o desenvolvimento do parasita e as taxas de transmissão.Mas nem tudo é tão nítido. Entre os casos estudados, estão a malária e a dengue. Os aumentos verificados nessas doenças em todo o mundo, nos últimos anos, parecem ter a influência de fatores locais, como o desmatamento.Esse trabalho, que será publicado nesta quinta-feira na Science, propõe um monitoramento das doenças que podem ser favorecidas pelas mudanças climáticas. Em muitos casos ainda não há dados suficientes para esse tipo de pesquisa.

Agencia Estado,

20 de junho de 2002 | 20h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.