Aquecimento global já afeta Corrente do Golfo

O professor Peter Wadhams, da Universidade de Cambridge (Inglaterra), afirma ter constatado os primeiros sinais de que a Corrente do Golfo está perdendo intensidade devido ao aquecimento global. O efeito, previsto por cientistas, pode alterar substancialmente o regime de temperaturas no noroeste da Europa.Segundo Wadhams, que é professor de Física dos Oceanos, observações feitas com submarinos da Marinha Real britânica mostram que o "motor" da Corrente do Golfo está funcionando com um quarto de sua capacidade nos últimos anos.Água desdendenteA Corrente do Golfo é um grande fluxo de água quente que leva calor ao noroeste da Europa, principalmente às ilhas britânicas. Este fluxo é impulsionado por uma mistura de água gelada que desce ao fundo do oceano, partindo da superfície no Ártico, com água quente vinda do sul.A mistura destas águas provoca um enorme redemoinho que move a Corrente do Golfo, mas o problema é que as colunas de água fria descendente estão menos fortes por conta do menor acúmulo de gelo na superfície do Mar da Groenlândia, segundo Wadhams. E isso desacelera o movimento circular das águas."Até recentemente era normal encontrarmos uma espécie de chaminés gigantes pelas quais a água gelada descia até cerca de 3 mil metros de profundidade. Se este mecanismo se desacelera, chegará menos calor à Europa", disse o professor ao jornal The Sunday Times.Gelo finoWadhams e seus colegas pesquisaram especialmente uma capa de gelo chamada Odden, que se forma no inverno no Mar da Groenlândia. Esta capa tem ficado com pouco mais da metade da espessura que tinha há 20 anos, o que afeta as colunas descendentes.A água gelada desce ao fundo do mar quando os cristais de gelo na superfície isolam o sal, deixando o líquido mais pesado que o das camadas inferiores - mais distantes do gelo. Com uma capa gelada mais fina, menos água tenderá a descer ao fundo.E a capa de gelo está mais fina, segundo os cientistas, por causa do aumento médio da temperatura global, devido às emissões de gases poluentes em todo o mundo.ResfriamentoCom o "motor" mais fraco e perdendo intensidade, a Corrente do Golfo deixaria de equilibrar o clima europeu, causando um esfriamento geral naquela região.Para se ter uma idéia, a corrente leva às costas britânicas 27 mil vezes mais calor do que poderia ser gerado por todas as fontes de energia do Reino Unido, garantindo de 5 a 8 graus centígrados na temperatura média.Ou seja, o aquecimento global estaria gerando um de seus primeiros efeitos locais drásticos, que seria um resfriamento no noroeste da Europa.  mudanças climáticas

Agencia Estado,

08 de maio de 2005 | 15h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.