Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Aquecimento global vai expulsar milhões, alertam cientistas

Os estudos sobre mudanças climáticas apresentados nesta semana na Conferência de Exeter, no Reino Unido, revelam que o aquecimento global pode expulsar milhões de pessoas de diversas áreas do planeta e reduzir a produtividade da agricultura.O relatório final da conferência, que reuniu cerca de 200 especialistas de vários países, alerta também que o degelo nas regiões próximas aos pólos e a elevação do nível dos oceanos a um quinto de milímetro por ano tende a fazer submergirem cidades costeiras como Nova York.Medidas urgentesOs cientistas apelam, no comunicado, para que os governantes e técnicos de todos os países adotem medidas urgentes para conter o aquecimento global e reduzir os efeitos das mudanças climáticas que já começam a se desenhar, com efeitos catastróficos para o homem e inúmeras espécies animais e vegetais.Eles lembram a necessidade de os governos cumprirem imediatamente os acordos internacionais para limitação de emissões de gases poluentes."Os efeitos da mudança climática já estão se manifestando nos ecossistemas", advertem.Acidez e Corrente do GolfoDurante a conferência, os especialistas apresentaram estudos confirmando que as emissões de dióxido de carbono (CO2) já estão inclusive aumentando a acidez da água do mar, o que coloca em grande perigo as reservas de recifes de corais e a existência de muitas espécies marinhas.A elevação das temperaturas médias do planeta, prevista para alcançar pelo menos 3ºC, começa a ter efeitos sobre a Corrente do Golfo, que leva águas quentes dos trópicos para o Reino Unido e norte da Europa. Segundo dados apresentados na conferência, já passa de 50% o risco de esta corrente ser extinta nos próximos 200 anos por causa do acúmulo de água doce e fria nos oceanos - proveniente do degelo das calotas polares."Isso é o que eu chamo de mudança climática perigosa", disse Mike Schlesinger, do Grupo de Pesquisas Climáticas da Universidade de Illinois. A corrente atualmente leva 1 bilhão de watts de calor dos trópicos para a costa britânica e a região do Ártico. Sem essa fonte de energia, a Grã-Bretanha sofreria uma queda de temperatura significativa, apesar da tendência global de aquecimento.Os cientistas acreditam que ela já esteja perdendo 10% de sua força, mas a possibilidade de um colapso total era considerada remota até agora.BiodiversidadeO aquecimento global, caso não seja controlado, também poderá levar a uma extinção em massa de ecossistemas e espécies, incluindo desde sapos a leopardos. E quanto mais rápido a temperatura subir, pior a mortandade, alertam os cientistas, pois animais e plantas não terão tempo suficiente para se adaptarem.Steve Schneider, da Universidade de Stanford, disse haver evidências claras de que as espécies já estão reagindo ao aquecimento de 0,7 ºC registrado ao longo dos últimos cem anos."Isso é o primeiro alerta", disse o pesquisador. "Há uma ameaça direta à sobrevivência de muitas espécies." Com o colapso dos ecossistemas mais frágeis, alertam os cientistas, muitas não terão para onde fugir. Uma mudança de 2 ºC já colocaria muitos organismos em perigo. mudanças climáticas biodiversidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.