<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Arara azul é morta a tiros no Pará

Fiscais da Delegacia do Trabalho de Santarém e agentes da Polícia Federal encontraram um macaco aranha acorrentado a uma árvore e uma arara azul morta a tiros dentro da Gleba Pacoval, onde funciona um assentamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). As duas espécies de animais estão ameaçadas de extinção na Amazônia.Os homens do governo federal foram no final de semana para o assentamento, localizado entre os municípios de Placas e Santarém, no sudoeste do Pará, para checar denúncias do Instituto de Estudos Amazônicos (IEA) sobre a existência de trabalho escravo e extração ilegal de madeira. As denúncias foram comprovadas e fazem parte de um processo contra um madeireiro da região acusado de invadir e se apossar de terras da União.Para o presidente do IEA, José Melo, as autoridades paraenses precisam encarar de frente a grilagem de terras, a derrubada ilegal de árvores, o trabalho escravo e o crime organizado, porque "estão perdendo essa guerra". Ele acredita que se nada for feito, a região de Santarém "irá se transformar num novo sul do Pará".

Agencia Estado,

02 de junho de 2003 | 17h11

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.